Divulgação/Sisley
Divulgação/Sisley

Procura-se colágeno desesperadamente

Inevitavelmente chega o dia em que você acorda e começa a se deparar com sinais de cansaço refletidos no espelho. Mas a pele madura não precisa ser motivo de pânico

Renata Piza, Moda

26 de maio de 2021 | 23h00

Aconteceu de repente – afinal, sempre parece que bastou uma noite entre o que éramos e o que passamos a ver na frente do espelho. Acordei e minha pele estava mais seca, sensibilizada e, temor dos temores, “despencando” a olhos nus. Obrigada, gravidade. “Não existe um dia D, uma data específica. Mas sabemos que após os 30 anos a pele vai perdendo um de seus componentes mais preciosos: o colágeno”, explica a dermatologista Fernanda Tembra. “Com a chegada da menopausa, essa perda é acelerada pela alteração hormonal, chegando a uma diminuição de até 30% nos cinco primeiros anos depois dela.”  

Leia Também

Gerações

Gerações

Ok, o cenário não parece promissor, certo? Mas, felizmente, vivemos no século 21 e algumas coisas já sabemos – e podemos usá-las a nosso favor. O sol, por exemplo, é um dos grandes responsáveis pelo nosso envelhecimento. Poluição, dieta rica em açúcares, tabaco, nicotina, consumo de álcool, estresse. Vilões que levam à oxidação das células e perda progressiva do colágeno. O que fazer para amenizar tudo isso e ter um envelhecimento saudável?

“Primeiramente, nosso amado e fiel escudeiro, o protetor solar”, diz Fernanda, ressaltando que ele precisa ser reaplicado várias vezes ao longo do dia. Um bom higienizador, cremes com agentes antioxidantes, como a vitamina C, ácidos indicados por médicos e hidratantes somam-se à lista dos melhores amigos da pele madura.  

Elaine Oliveira, treinadora oficial da Sisley no Brasil, resume o ritual do dia a dia: “lavar, tonificar, hidratar”. E, se você quiser começar por um único produto de tratamento, a dica dela é investir em um bom hidratante, como os da linha Sisleÿa L’intégral Anti- ge. “Hidrate, hidrate, hidrate. Uma pele bem hidratada ajuda a retardar os sinais do envelhecimento e a manter a pele equilibrada e vivaz.” 

High-tech 

Além dos cremes, que estão cada vez mais potentes, podemos contar também com procedimentos que retardam e/ou auxiliam a reestruturação do rosto, que com o passar do tempo começa a ter também perda óssea e muscular. Explica Fernanda: “Hoje, com tecnologia, mãos experientes e bom senso, dá para conseguir excelentes resultados usando preenchedores, bioestimuladores de colágeno, lasers, ultrassom microfocado, radiofrequência, microagulhamento e fios de sutura”.  

Em resumo, quando você se olhar novamente no espelho e sentir que sua pele já não é mais a mesma, coloque Caetano Veloso na sua playlist, faça um pacto com o tempo, vá ao dermatologista e entenda o que é melhor para você. “Precisamos ter consciência dos nossos limites, do quão belo é preservar a essência das características individuais de cada paciente e não seguir padrões rotulados como necessários”, finaliza Fernanda.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.