MARK PECKMEZIAN /GUCCI
MARK PECKMEZIAN /GUCCI

Gucci troca passarela por fotos e vídeo de estilistas criando peças ao vivo

A transmissão ao vivo da sessão de fotos no palácio de estuque do século 16 começou às 8h e mostrou a equipe vestindo os estilistas da marca como se fossem modelos, muitos com máscaras e visores

Silvia Aloisi, Reuters

17 de julho de 2020 | 18h29

MILÃO - A Gucci trocou a passarela pelo lançamento de sua nova coleção Epilogue nesta sexta-feira com fotos de seus estilistas modelando suas criações e uma transmissão de 12 horas ao vivo da gravação de sua campanha em um palácio resplandecente de Roma.

Como as medidas de distanciamento social e as restrições de viagem impedem que modelos e convidados estrangeiros cheguem de avião, a pandemia de coronavírus obrigou grifes de ponta a descartarem o formato tradicional dos desfiles de moda.



O diretor de criação Alessandro Michele, que assumiu o comando da Gucci em 2015, disse que o evento desta sexta-feira foi o último de uma série em três partes que se concentrou na fabricação das roupas e no trabalho de bastidores que entra em uma coleção de moda.

A transmissão ao vivo da sessão de fotos no palácio de estuque do século 16 começou às 8h e mostrou a equipe vestindo os estilistas da marca como se fossem modelos, muitos com máscaras e visores.

Em um segmento de 20 minutos para exibir a nova coleção, a Gucci apresentou retratos dos estilistas vestindo as peças que criaram para a 'Epilogue', que pretende transcender estações e gêneros e deve chegar às lojas no outono europeu.

Os vestidos extravagantes e floridos de Michele, o uso de cores ousadas e um aceno aos anos 1970 ajudaram a transformar a Gucci, parte do grupo francês Kering, em uma das grifes que cresceram mais rápido nos últimos anos.

A apresentação foi parte de um jornada que “quer gerar um questionamento das regras, dos papéis e das funções que mantém o mundo da moda em funcionamento”, disse Michele em um comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.