Reprodução / Capa Revista Moda
Reprodução / Capa Revista Moda

Estadão e Fhits lançam revista Moda no domingo

Publicação será impressa, mas as redes sociais terão papel importante no desdobramento da informação

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2020 | 05h00
Atualizado 28 de março de 2020 | 20h35

A plataforma de mídias sociais especializada em moda e beleza, Fhits, e o Estadão se unem para lançar a revista Moda. A publicação será encartada na edição destinada aos assinantes da capital no domingo, dia 29.

A revista impressa terá desdobramentos no mundo digital. Uma imersão no chamado phygital, a mistura do físico e do digital, com a proposta de que a informação de moda e beleza seja consumida da melhor forma. “A revista Moda vem complementar o portfólio do Estadão. Além das colunas semanais, a revista é outro veículo com informações dirigidas a nossa audiência qualificada. Além disso, teremos a amplificação digital com todo o time da Fhits”, diz Paulo Pessoa, diretor executivo Comercial do Estadão.

Para Alice Ferraz, fundadora e CEO da Fhits e diretora de Conteúdo de Moda, a ideia é que o mesmo conteúdo seja feito de diversas maneiras. “Cada mídia se comporta de um jeito diferente e é essa tradução que consegue conversar com diversas audiências”, afirma. No impresso, a linguagem do editorial de moda traz imagens com produção criada para valorizar a tendência. No Instagram, influenciadoras transformam a imagem, em produções para a mulher real usar no dia a dia. No IGTV, tutoriais ensinam e simplificam o “Como Usar”. Cada canal tem sua função específica como criador de conteúdo.

“O papel continua existindo. O Estadão fala com uma geração que entende o papel e é líder no segmento com credibilidade e reputação”, diz Alice. Com a parceria, o leitor ganha na experiência da informação diversa em diferentes mídias. O anunciante verá o valor dobrado no "phygital".

Além da revista, haverá também uma coluna semanal publicada no jornal. “Poderemos abordar sobre um estilista específico e sua atuação em determinado momento ou tendências de uma maneira geral”, explica Alice. Para ela, o leitor sente falta da discussão do tema com regularidade dentro do impresso. “Ele quer ouvir a opinião do Estadão com relação à moda. Estadão tem credibilidade e respeito. Quando ele fala, a gente ouve”, afirma.

Há mais de 20 anos no ramo da moda, Alice Ferraz acompanha todas as semanas de desfiles pelo mundo e conta que a mulher que lê as notícias do Estadão, nos cadernos de Economia e Política, por exemplo, também gosta de se informar sobre o que acontece na moda. “Todos os jornais do mundo acompanham as semanas de moda. Não tem motivo para o Estadão não falar também.”

Se moda é um reflexo do que a gente está vivendo, o conteúdo específico trará informações sobre esse período de quarentena, por exemplo, sobre como vamos consumir e usar a moda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.