Juliana de Souza
Juliana de Souza

Essências da pele

Atentos à aromaterapia, Breno Bitencourt e Caroline Villar, fundadores da Souvie, escolhem matérias-primas naturais para seus produtos, todas cultivadas e extraídas no interior de São Paulo

Marilia Neustein, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2021 | 07h00

Para alguns, a paixão por orgânicos demorou a chegar. O que hoje parece ser difundido e condicional para o reconhecimento como boa prática nas marcas de cosméticos, nem sempre foi assim. Mas para Breno Bitencourt e Caroline Villar, tal premissa sempre esteve lá. O casal começou em 2015 a cultivar e extrair óleos essenciais na fazenda da família.

“Levamos algum tempo de estudo para encontrar os melhores cultivos de plantas aromáticas e formular nossos produtos com ingredientes seguros e eficazes, sob a chancela de um selo reconhecido internacionalmente para oferecer produtos que respeitam as pessoas e o planeta”, conta Breno, fundador e CEO da Souvie, marca certificada pelo reconhecido instituto francês Ecocert. 

A dupla começou olhando diretamente para a cultura milenar e afetiva dos óleos essenciais com propriedades relaxantes usadas na aromaterapia. Atentos às relações sinestésicas dessa prática, escolheram cinco matérias-primas chave para os produtos, são elas: capim-limão, erva-doce, manjericão, alecrim e lavanda.

Todos cultivados e extraídos na Fazenda São Benedito, localizada em Bom Sucesso de Itararé, no interior de São Paulo. “Os óleos essenciais têm o que as fragrâncias sintéticas não possuem. Nossos sabonetes, por exemplo, utilizam cerca de 4% de óleo essencial orgânico puro, pois, além de limpar e hidratar a pele, proporcionam uma sensação terapêutica relaxante através das propriedades aromáticas de cada óleo”, explica. 

O grande toque especial da Souvie é também a opção por utilizar água floral em lugar de petrolatos, uma fidelidade à filosofia de que a “ética precede a estética”. “A água floral ainda possui uma grande porcentagem de óleo essencial que não pôde ser extraído e, consequentemente, carrega consigo as mesmas propriedades.” 

Logo se vê que esse compromisso com o meio ambiente não é retórico. Hoje a dupla dorme com tranquilidade em meio a uma discussão séria pela qual passa a indústria de cosméticos sobre a responsabilidade com o meio ambiente e o consumo sustentável. Sua cadeia produtiva, que vai desde as embalagens, predominantemente de alumínio ou vidro facilmente recicláveis, até os efluentes, cuja água da chuva é captada para reuso, passando pela coleta reversa dos produtos vendidos, entre outras práticas, colocam a Souvie como uma das empresas protagonistas da sustentabilidade no setor. 

Contudo, Breno sabe do desafio que é para todo esse esforço chegar ao consumidor final. “Muita gente entende o conceito orgânico apenas quando falamos de alimento. Nossos produtos também podem ser considerados um alimento para a pele à medida que ele a nutre ao invés de plastificá-la com silicones”, explica. “Acreditamos que beleza, saúde e bem-estar são indissociáveis”, conclui.

Souvie: produtos feitos à base de plantas aromáticas que respeitam as pessoas e o meio ambiente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.