Carta da diretora

Carta da diretora

Um olhar sobre o mundo e a moda, por Alice Ferraz

Alice Ferraz, Moda

07 de novembro de 2020 | 16h00

Um novembro como nenhum outro seria o título que eu daria para este mês.

Leia Também

Muso híbrido

Muso híbrido

Olhando para nosso ano, as incertezas e dores pelas quais passamos, novembro chega diferente, sem ainda estar “embrulhado” como deveria, com cara de final de ano e o laço vermelho tradicional do começo das festas.

Neste novembro, do ano em que fomos “roubados” da liberdade de ir e vir e da liberdade do contato físico, queremos sol, cor, natureza e, principalmente, liberdade. Em meio à tristeza e à dor, mas também em meio à redescoberta do nosso Brasil onde estamos há meses confinados, surge um amor pelo que é nacional, regional, artesanal. Pela nossa cultura, nosso olhar único construído por história, arte, música e moda.

Aqui, na Revista Moda, ao nos debruçarmos para encontrar um símbolo que abraçasse este momento no Brasil, Ney Matogrosso surgiu. Suave Ney, discreto Ney, livre e transgressor Ney. Nasceu em Mato Grosso e talvez por isso traga à flor da pele a força da natureza pulsante da nossa floresta tropical amazônica. Ney foi genderless antes de o termo existir e é símbolo absoluto de liberdade, na música, na dança, na voz e, claro, na Moda.

Tudo o que sabemos sobre:
moda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.