Pascal Rossignol/Reuters
Pascal Rossignol/Reuters

Anderson Santos: Onde está a natureza?

A biologia me fez ter uma visão sistêmica da vida e compreender que no mundo natural todos os movimentos estão interligados

Anderson Santos, Moda

19 de junho de 2022 | 07h30

Nasci em Santo André, ABC Paulista, e quando criança o quintal era meu lugar preferido da casa. Brincava com fazendas de tatu-bola, tomava banho de chuva, brincava na rua e colhia as folhas da erva-cidreira-brasileira (Lippia alba) para fazer chá com minha mãe, nas tardes e noites frias do inverno. No fim da década de 1980, eu ainda não tinha noção de que morávamos tão perto da floresta nativa, a Mata Atlântica. 

Durante a infância e adolescência, vi a paisagem do nosso bairro mudar drasticamente. Nossa casa tinha vista para uma montanha encoberta pela Mata Atlântica. Com o passar dos anos, o crescimento urbano removeu a floresta e aquele lugar passou a ser um morro de casas. 

A biologia me fez ter uma visão sistêmica da vida e compreender que no mundo natural todos os movimentos estão interligados. Aquele desmatamento que acontecia na minha frente era apenas o reflexo do que acontecia no restante do País. A Mata Atlântica é lar de 72% dos brasileiros e atualmente está reduzida a apenas 12,4% da sua cobertura original, segundo dados do relatório 2020 da Fundação SOS Mata Atlântica.

Acho particularmente curioso quando alguém diz “vou à praia para ficar perto da natureza”, “fui ao parque para sentir um pouco da natureza”, “fiz uma viagem e tive contato com a natureza”, mas para onde foi a natureza? Há décadas colocamos a natureza para fora de casa.

É urgente a conscientização de que humanos fazem parte dos sistemas naturais, inclusive nas áreas urbanas. Pensando nisso fundei a Escola de Botânica em 2016, para que pudéssemos celebrar, conversar, dialogar e promover os seres vegetais e o mundo natural. Atualmente são mais de 40 cursos, projetos, ações e movimentos que aproximam pessoas da compreensão desse nosso lugar humano no mundo natural, através da divulgação da ciência, arte e natureza.

Qual foi o momento do dia em que você se sentiu parte da natureza? Gradualmente, tente ampliar o tempo dessas vivências e veja os benefícios dessa consciência. Afinal, somos natureza!   

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.