Zuenir Ventura é eleito para a Academia Brasileira de Letras

Jornalista e escritor vai ocupar a cadeira de Ariano Suassuna

Thaise Constancio, O Estado de S. Paulo

30 de outubro de 2014 | 17h16

Atualizado às 20h30

RIO - O escritor e jornalista mineiro Zuenir Ventura, de 83 anos, foi eleito nesta quinta-feira para ocupar a cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras (ABL), vaga desde 23 de julho passado, quando o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna morreu.

Zuenir concorreu com Thiago de Mello e Olga Savary, e recebeu 35 dos 37 votos possíveis. Cada um dos outros postulantes recebeu um voto. O escritor deve tomar posse em dezembro. Emocionado, Zuenir dedicou sua escolha a Zélia Suassuna, viúva de Ariano.

O recém-eleito contou que, pouco antes de ser internado e vir a morrer, Suassuna havia declarado voto em Zuenir na disputa por outra cadeira da ABL. “Preferia que ele tivesse votado em mim, não que fosse embora antes da eleição. É uma homenagem que presto a ele e sei da responsabilidade que é sucede-lo. Substituí-lo, nem pensar. Ariano é insubstituível."

Zuenir já havia cogitado se candidatar outras três vezes, mas sempre desistia ao saber que amigos concorreriam. O mineiro se candidatou em 2013, mas retirou seu nome em favor do romancista baiano Antônio Torres, que ocupa a cadeira 23.

Colunista do jornal O Globo e ganhador de um Prêmio Jabuti, dois prêmios Esso de Jornalismo e um Vladimir Herzog, Zuenir é autor de livros como 1968 - O Ano que Não Terminou, que inspirou a minissérie Anos Rebeldes, da TV Globo.

“Sou carioca, embora tenha nascido em Minas, e quero de alguma maneira contribuir com a minha cidade e agora na Academia”, afirmou Zuenir.

O presidente da ABL, Geraldo Holanda Cavalcanti, afirmou que Zuenir “será uma luz na discussão do debate social em que a Academia se envolve constantemente”. “Ele é um observador lúcido da realidade social e política brasileira.”

Grande articulador da candidatura de Zuenir, o imortal Arnaldo Niskier destacou que “a ABL é uma casa de convivência” e que o mineiro “vai contribuir com sua alegria imensa”. “Será uma honra conviver com o Zuenir pelo resto da vida.”

Antes do jornalista, ocuparam a cadeira 32 (que tem como patrono o poeta Araújo Porto-Alegre) Carlos Laet, Ramiz Galvão, Viriato Correia, Joracy Camargo e Genolino Amado. Nascido em 1931 em Além Paraíba, Zuenir mora no Rio desde 1954.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.