Ziraldo e João Carvalho
Ziraldo e João Carvalho

Ziraldo empresta Menino Maluquinho para novos livros infantis sobre inclusão

Maluquinho agora é amigo de Chico, um garoto com síndrome de Down, e a dupla vai se encontrar em 9 cartilhas para crianças

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

23 de março de 2021 | 15h00

O cartunista Ziraldo emprestou seu Menino Maluquinho, personagem que vem encantando e divertindo gerações desde 1980, para um projeto especial: uma série de cartilhas que vai levar o tema da inclusão para a conversa entre pais e filhos.

O primeiro título, Menino Maluquinho em Um Livro, Crianças e Muitas Histórias, já pode ser lido gratuitamente no site do projeto. Ele é idealizado pela Nosso Olhar, uma ong fundada por Thaissa Alvarenga, que é ainda criadora do blog Chico e suas Marias, sobre a rotina dos filhos - sobretudo a de Francisco, de 7 anos. Chico, aliás, é um dos novos amigos de Maluquinho. Ele tem síndrome de Down e participa da história ao lado das irmãs mais novas - Maria Clara e Maria Antônia. 

A Ziraldo Produções cedeu o personagem e o escritor Manuel Filho foi responsável pelas nove histórias. Um novo título será lançado a cada mês, numa tiragem individual de 30 mil exemplares que serão distribuídos gratuitamente também com a ajuda da Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down. A versão em e-book da cartilha pode ser lida no site.

Esta não é a primeira vez que Manuel Filho se encontra com Maluquinho. “E todo encontro é como se estivéssemos conversando com aquele coleguinha vizinho que amanhece pronto para inventar um jogo, descobrir coisas novas. Brincar com essa turminha imortal do grande Ziraldo sempre é um prazer. Maluquinho, Julieta, Bocão, Junim mostram um retrato de muitas infâncias”, comenta o escritor, que foi responsável pelo texto do crossover do Menino Maluquinho com a Turma da Mônica, em 2018.

Manuel Filho conta que escreve livros para crianças e adolescentes há 18 anos e que o tema de inclusão sempre foi importante para ele. “Há quem diga que o mundo ‘está chato’ porque ponderam que não se pode mais ‘falar sobre tudo’. Mas, é exatamente o contrário, podemos falar sobre tudo ao passo que incluímos mais pessoas em nossas conversas. Imagine só como não tem sido ‘chato’ para quem sofreu racismo, homofobia, misoginia ao longo de tantas décadas. A oportunidade de explanar a respeito da síndrome de Down me interessou profundamente, pois também tive uma ótima assessoria de maneira a produzir uma história lúdica, na qual  a informação está presente”, comenta o autor. E completa: ‘O conhecimento tem o poder de dirimir o ódio e o preconceito’.

O escritor lembra ainda que Ziraldo já apresentava a questão da diversidade em sua obra desde o início, e revela que a maioria dos personagens da turma do Menino Maluquinho irá aparecer nas histórias que abordarão outros tipos de deficiências intelectuais: Carolina, Lúcio, Sugiro Fernando, Shirley Valéria e Herman. “Chico e suas Marias irão se integrar aos novos amigos e múltiplas vozes irão entreter os leitores. As histórias não são didáticas, pelo contrário, eu as escrevi de maneira que pudessem ser lidas por simples prazer em uma roda de leitura, por exemplo. A parte informativa sempre vem ao final da cartilha no quadro Aprendendo com o Maluquinho”, explica.

O Menino Maluquinho é um dos personagens mais populares da literatura brasileira para crianças. Desde o lançamento, no início da década de 1980, o livro publicado pela Melhoramentos já vendeu 4 milhões de exemplares e teve nada menos do que 129 edições. É sucesso também fora do Brasil, com tradução em 10 países, e em outros formatos - a história já foi adaptada para o cinema, HQ, teatro e até ópera.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.