Miguel MEDINA / AFP
Miguel MEDINA / AFP

Woody Allen tem livro de memórias cancelado por editora

Decisão veio após críticas focadas em alegações de que o cineasta teria abusado sexualmente de sua filha Dylan Farrow.

Hillel Italie, AP

06 de março de 2020 | 18h12

NOVA YORK - A editora de Woody Allen decidiu cancelar o lançamento de Apropos of Nothing, livro de memórias escrito pelo cineasta.

O anúncio da editora Hachette Book Group veio dias após de críticas focadas em alegações de que Allen teria abusado sexualmente de sua filha Dylan Farrow.

Na quinta-feira, 5,  dezenas de funcionários da editora fizeram uma paralisação. "A decisão de cancelar o livro do Sr. Allen foi difícil. Na HBG, as relações com os autores são muito sérias e não cancelamos livros à toa", anunciou a editora. "Nós publicamos e continuaremos a publicar muitos livros desafiadores. Como editores, garantimos todos os dias em nosso trabalho que diferentes vozes e pontos de vista conflitantes possam ser ouvidos".

O livro de Allen estava programado para sair no próximo mês. Allen negou qualquer irregularidade e nunca foi acusado depois de duas investigações nos anos 90. Mas as alegações receberam nova atenção na era do MeToo.

O acordo de Allen com a Hachette significou que ele esteve brevemente na editora de um de seus maiores detratores, seu filho Ronan Farrow, cujo livro Catch and Kill foi lançado no ano passado por uma divisão da Hachette.

"A publicação das memórias de Woody Allen pela editora é profundamente perturbadora para mim, pessoalmente, e uma traição total ao meu irmão, cujas bravas reportagens, publicadas pela Hachette, deram voz a  sobreviventes de agressão sexual por homens poderosos", disse Dylan Farrow em um comunicado na segunda-feira, horas depois do anúncio do livro. 

Ronan Farrow deu seguimento um dia depois, chamando a decisão de Hachette de "extremamente antiprofissional" . Tanto ele quanto sua irmã reclamaram que a editora não havia checado o conteúdo do livro de seu pai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.