Veteranos e estreantes são finalistas do Portugal Telecom

Ignácio de Loyola Brandão e Milton Hatoum, cronistas do ‘Estado’, tiveram livros indicados para a edição de 2014 do Prêmio; veja lista

O Estado de S. Paulo,

02 Junho 2014 | 13h52

Saiu a lista dos finalistas do Prêmio Portugal Telecom 2014, um dos mais importantes prêmios literários do País. Divido em três categorias (Romance, Conto/Crônicas e Poesia), o prêmio paga R$50 mil ao vencedor de cada uma, mais R$50 mil para o vencedor do Grande Prêmio, escolhido entre os vencedores de cada categoria.

Na categoria romance, veteranos como o português Antonio Lóbo Antunes (Comissão das Lágrimas, Alfaguara) e Bernardo Carvalho (Reprodução, Companhia das Letras) competem com estreantes no gênero, como Rogério Pereira (Na escuridão, amanhã, Cosac Naify) e Wellington de Melo (Estrangeiro no Labirinto, Confraria do Vento).

Na categoria Poesia, uma boa quantidade de jovens: Gregorio Duvivier (Ligue os pontos, Companhia das Letras), Bruna Beber (Rua da Padaria, Record) e Alice Sant’Anna (Rabo de Baleia, Cosac Naify) estão ao lado de escritores mais experientes, como Iacyr Anderson Freitas (Ar de Arestas, Escrituras) e Zuca Sardan (Ximerix, Cosac Naify).

Contos e crônicas – que continuam misturados na mesma categoria – também traz nomes bastante conhecidos: Ruy Castro (Morrer de Prazer, Foz), Marina Colasanti (Hora de Alimentar Serpentes, Global) e Marcelo Mirisola (O Cristo Empalado, Oito e Meio) estão na mesma lista que Rodrigo Rosp (Fingidores, Não Editora), Luís Henrique Pellanda (Asa de Sereia, Arquipélago) e Antonio Prata (Nu, de botas, Companhia das Letras). Os livros de Ignácio Loyola Brandão (O Mel de Ocara, Global) e Milton Hatoum (Um Solitário à Espreita, Companhia das Letras) reúnem crônicas dos autores também publicadas no Estado.

Sete dos vinte romances indicados são da Companhia das Letras. A editora Patuá tem mais indicações na categoria poesia, quatro. Nenhuma editora teve mais de dois livros indicados na categoria Contos e Crônicas.

Em sua 12 edição, o Prêmio Portugal Telecom teve 489 livros inscritos: 194 romances, 172 livros de poesia e 123 livros de contos e crônicas.

O júri desta edição do Prêmio é composto por José Castello, João Cezar de Castro Rocha, Leyla Perrone-Moisés, Luiz Costa Lima, Luiz Ruffato e Manuel da Costa Pinto.

Veja a lista completa das obras indicadas: 

Romance:

A cidade, o inquisidor e os ordinários, Carlos de Brito e Mello (Companhia das Letras) 

A maçã envenenada, Michel Laub (Companhia das Letras) 
A república das abelhas, Rodrigo Lacerda (Companhia das Letras) 
A tristeza extraordinária do leopardo-das-neves, Joca Reiners Terron (Companhia das Letras) 
Amanhã não tem ninguém, Flávio Izhaki (Rocco) 
Aos 7 e aos 40, João Anzanello Carrascoza (Cosac Naify) 
Barreira, Amilcar Bettega (Companhia das Letras) 
Comissão das lágrimas, António Lobo Antunes (Alfaguara) 
Companhia Brasileira de Alquimia, Manoel Herzog (Patuá) 
Divórcio, Ricardo Lísias (Alfaguara) 
Estrangeiro no labirinto, Wellington de Melo (Confraria do Vento) 
Hanói, Adriana Lisboa (Alfaguara) 
Matteo perdeu o emprego, Gonçalo M. Tavares (Foz) 
Na escuridão, amanhã, Rogério Pereira (Cosac Naify) 
Nossos ossos, Marcelino Freire (Record)
O bibliotecário do imperador, Marco Lucchesi (Globo Livros) 
O Drible, Sérgio Rodrigues (Companhia das Letras) 
Opisanie swiata, Veronica Stigger (Cosac Naify) 
Reprodução, Bernardo Carvalho (Companhia das Letras)
Tangolomango, Raimundo Carrero (Record) 

Poesia:
Adega imaginária seguido de O relincho do cavalo adormecido, Armindo Trevisan (L&PM)
Anzol de pescar infernos, Ana Elisa Ribeiro (Patuá)
Ar de arestas, Iacyr Anderson Freitas (Escrituras)
Brasa enganosa, Guilherme Gontijo Flores (Patuá)
Caderno provinciano, Chico Lopes (Patuá)
De corpo presente, Alberto Lins Caldas (Ibis Libris)
Dever, Armando Freitas Filho (Companhia das Letras)
Estado crítico, Régis Bonvicino (Hedra)
Estúdio realidade, Rodrigo Garcia Lopes (7Letras)
Ilhéu, Edson Cruz (Patuá)
Ligue os pontos - poemas de amor e big bang, Gregorio Duvivier (Companhia das Letras)
Metal, Ricardo Silvestrin (Artes e Ofícios)
Miserere, Adélia Prado (Record)
O aquário desenterrado, Samarone Lima (Confraria do Vento)
O mapa da tribo, Salgado Maranhão (7Letras)
Observação do verão seguido de Fogo, Gastão Cruz (Móbile Editorial)
Quadras paulistanas, Fabrício Corsaletti (Companhia das Letras)
Rabo de baleia, Alice Sant'Anna (Cosac Naify)
Rua da padaria, Bruna Beber (Record)
Signos de Camões, Luis Maffei (Oficina Raquel)
Vozes, Ana Luísa do Amaral (Iluminuras)
Ximerix, Zuca Sardan (Cosac Naify)

Contos/Crônicas:
Asa de sereia, Luís Henrique Pellanda (Arquipélago Editorial)
Autópsia do bípede, Marco Polo Guimarães (Confraria do Vento)
Canções mexicanas, Gonçalo M. Tavares (Casa da Palavra)
Dicionário amoroso de Porto Alegre, Altair Martins (Casarão do Verbo)
Entre moscas, Everardo Norões (Confraria do Vento)
Espero alguém, Carpinejar (Bertrand Brasil)
Fingidores [comédia em nove cenas], Rodrigo Rosp (Não Editora)
Garimpo, Beatriz Bracher (Editora 34)
Hora de alimentar serpentes, Marina Colasanti (Global)
Labirinto da palavra, Claudia Lage (Record)
Meus segredos com Capitu, Ana Elisa Ribeiro (Jovens Escribas)
Morrer de prazer, Ruy Castro (Foz)
Novella, Sérgio Fantini (Jovens Escribas)
Nu, de botas, Antonio Prata (Companhia das Letras)
O Cristo empalado, Marcelo Mirisola (Oito e Meio)
O Deus dos insetos, Monique Revillion (Dublinense)
O mel de Ocara, Ignácio de Loyola Brandão (Global)
Sangue quente (contos com alguma raiva), Claudia Tajes (L&PM)
Um operário em férias, Cristovão Tezza (Record)
Um solitário à espreita, Milton Hatoum (Companhia das Letras)
Viva México, Alexandra Lucas Coelho (Tinta da China)
Você verá, Luiz Vilela (Record)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.