Dida Sampaio / Estadão
Dida Sampaio / Estadão

Veja frases do escritor Eduardo Galeano

Uruguaio morreu nesta segunda-feira, 13, aos 74 anos

O Estado de S. Paulo

13 de abril de 2015 | 09h44


Autor de obras referenciais, como As Veias Abertas da América Latina (1971) e Memória de Fogo (1982-86), o ensaísta, historiador e ficcionista uruguaio Eduardo Galeano morreu nesta segunda-feira, 13, em Montevidéu aos 74 anos. Veja algumas frases do escritor: 

"s pessoas estavam na cadeia para que os presos pudessem ser livres" (Sobre o regime militar de seu país)

"Nos últimos anos, o futebol tem perdido aquele brilho de encantamento que deveria marcar cada partida. Infelizmente, boa parte dos jogadores não tem demonstrado aquela satisfação que vemos, por exemplo, em jogos de crianças: elas não têm a finalidade da vitória, querem apenas se divertir"

"A grande virtude do futebol é sua capacidade de surpreender, de provocar assombro, de permitir o milagre, de saber que o impossível pode acontecer. É uma das atividades humanas mais imprevisíveis que existem. Daí o sucesso popular, mundial.”

“Como todo latino, apresento diversos vícios e o mais grave é a tendência à inflação – não a dos preços, mas a de palavras"

"A esquerda foi demolida muitas vezes por ter dado certo. Foi castigada pelas ditaduras, pelos sacrifícios humanos e pelas barbaridades cometidas em nome da paz, do progresso e da democracia. Em algumas épocas, a esquerda também cometeu erros gravíssimos. A realidade tem o dom da surpresa justamente por dar respostas a perguntas não formuladas"

"A necessidade de segurança é a ditadura que hoje reina no mundo"

"Guerras têm cheiro de podridão, que é pegajosa pois entra em todos os nossos poros e não desaparece jamais"

Tudo o que sabemos sobre:
LiteraturaEduardo Galeano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.