Jorge Silva/Reuters
Jorge Silva/Reuters

Vargas Llosa é eleito sócio correspondente da Academia Brasileira de Letras

Ele foi escolhido pelos imortais para ocupar cadeira que pertencia ao americano Fred P. Ellison, morto em outubro

O Estado de S. Paulo

04 Dezembro 2014 | 17h46

O escritor peruano Mario Vargas Llosa foi eleito nesta quinta-feira, 4, como sócio correspondente da Academia Brasileira de Letras. Prêmio Nobel de Literatura de 2010 e cronista do Estado, ele ocupará a cadeira 12, que pertencia ao americano Fred P. Ellison, professor de língua portuguesa e literatura na Universidade do Texas, que morreu no dia 4 de outubro.

São 20 as cadeiras nesta categoria, que estão ocupadas, no momento, por nomes como Mia Couto (Moçambique), Agustina Bessa-Luis e José Carlos de Vasconcelos (Portugal), Agustin Buzura (Romênia) e Daisaku Ikeda (Japão). Não há candidatura. São os próprios imortais que indicam o homenageado.

Vargas Llosa é autor de obras como Os Cadernos de Dom Rigoberto, Conversa no Catedral, Travessuras da Menina Má, A Guerra do Fim do Mundo e Tia Julia e O Escrevinhador, entre outros. 

A escolha de Vargas Llosa é anunciada um dia antes de outro momento importante da Academia Brasileira de Letras. Nesta sexta-feira, dia 5, o poeta Ferreira Gullar toma posse da cadeira que pertencia a Ivan Junqueira, morto este ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.