Tony Blair adia festa de livro por temor de manifestação

LONDRES (Reuters Life!) - O ex-premiê britânico Tony Blair foi obrigado a adiar a festa de lançamento de sua autobiografia na galeria Tate Modern devido a ameaças de manifestantes antiguerra, informou seu escritório nesta quarta-feira.

REUTERS

08 de setembro de 2010 | 11h28

Os manifestantes planejavam invadir o evento na noite desta quarta. Um grupo de artistas, incluindo Brian Eno e Vivienne Westwood, pediram que a galeria cancelasse a festa "infame".

Blair também foi obrigado a cancelar a sessão de autógrafos para o livro "A Journey" em uma livraria do centro de Londres.

"Foi adiada pela mesma razão da sessão de autógrafos do livro", disse um porta-voz de Blair. "Nós não queremos fazer nossos convidados sofrerem as consequências desagradáveis das ações dos manifestantes."

No fim de semana, pessoas atiraram ovos e sapatos no ex-primeiro-ministro durante um evento promocional em Dublin.

Blair, que foi premiê britânico pelo Partido Trabalhista entre 1997 e 2007, deu início à participação da Grã-Bretanha nas guerras do Iraque e do Afeganistão. A ocupação do Iraque pelas forças de coalizão ocidentais enfrentou ampla oposição e contribuiu para a queda da popularidade de Blair.

A atriz Tracey Emin, a estilista Vivianne Westwood e o músico Brian Eno estavam entre os artistas que escreveram uma carta ao jornal Guardian nesta quarta-feira para expressar preocupação com o evento na Tate Modern.

(Reportagem de Matt Falloon)

Tudo o que sabemos sobre:
LIVROBLAIROPOSICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.