AP Photo/File
AP Photo/File

'Temperature', conto perdido de F. Scott Fitzgerald, será publicado em revista

Escrito em 1939, um ano antes da morte do escritor, 'Temperature', sobre fracasso, doença e decadência, só foi encontrado agora

Hillel Italie, Associated Press

31 Julho 2015 | 22h12

Um ano antes de morrer de enfarte, F. Scott Fitzgerald escreveu um conto sobre um escritor beberrão que havia sido diagnosticado com uma doença cardíaca. "E quanto a essa artimanha de dizer que 'qualquer coincidência com alguém da vida real é coincidência' não faz sentido tentar", adverte Fitzgerald no começo de Temperature, um conto de 8 mil palavras datado de julho de 1939 que será publicado pela primeira vez na revista literária trimestral The Strand Magazine.

Por décadas, pensou-se que o texto estava perdido. Temperature foi escrito quando o autor de O Grande Gatsby tinha problemas para encontrar emprego no cinema e esperava reavivar sua carreira literária. Seu contrato com a MGM para escrever roteiros havia expirado e em 1939 ele foi internado duas vezes por seu alcoolismo.

"Ele se sentia anacrônico e tratava de encontrar uma voz que o remetesse à era do jazz, disse Kirk Curnutt, autor de The Cambridge Introduction to F. Scott Fitzgerald, em um e-mail recente. "Para isso, experimentou vozes de romance policial e de comédia satírica."

O conto se passa em Los Angeles e é uma história disparata de fracasso, doença e decadência, temas comuns na obra de Fitzgerald. A narrativa é conscientemente cinematográfica, com frases como "neste momento, como dizem os roteiros, a câmera entra na casa". O protagonista é um escritor de 31 anos chamado Emmet Monsen, a quem Fitzgerald descreve como "notavelmente fotogênico" e "magro e sombriamente bonito". Ao redor do autodestrutivo Monsen, há médicos, assistentes pessoais e uma atriz de Hollywood e amante distante, que se distancia cada vez mais.

Andrew F. Gulli, editor da The Strand, encontrou o manuscrito este ano quando procurava livros raros e manuscritos na Universidade de Princeton. "Quando pensamos em Fitzgerald pensamos nos romances trágicos que escreveu, como O Grande Gatsby e Suave é a Noite, mas Temperature mostra que ele era um contista igualmente qualificado e que poderia escrever grandes comédias."

Os contos de Fitzgerald haviam sido apresentados na Collier's, The Saturday Evening Post e outras revistas, mas no final da década de 1930 já não tinha mais tantos seguidores e estava insatisfeito com seu agente literário, Harold Ober, que o havia ajudado economicamente antes. Em uma carta escrita a Ober em agosto de 1939, Fitzgerald disse que se sentia tão ignorado que havia enviado, ele mesmo, Temperature a algumas publicações, e que havia sido rechaçado pelo Post.

Fitzgerald morreu em dezembro de 1940, aos 44 anos.

Mais conteúdo sobre:
CulturaLiteratura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.