Bertrand GUAY/AFP
Bertrand GUAY/AFP

Senegalês Mohamed Mbougar Sarr ganha o Goncourt, maior prêmio literário da França

O vencedor do Prêmio Goncourt 2021 tem 31 anos, é desconhecido do grande público e é autor de 'La Plus Secrète Mémoire des Hommes'

Redação, AFP

03 de novembro de 2021 | 15h24

Desconhecido do grande público, o jovem escritor senegalês Mohamed Mbougar Sarr, de 31, ganhou nesta quarta-feira (3) o prestigioso prêmio literário francês Goncourt, por seu romance La Plus Secrète Mémoire des Hommes (A Lembrança Mais Secreta dos Homens, em tradução livre).

Mohamed Mbougar Sarr se torna, assim, o primeiro escritor da África Subsaariana a receber esta distinção, a mais importante da literatura francesa.

O escritor era o grande favorito e se impôs, claramente, frente aos concorrentes, com seis dos dez votos do júri, na primeira rodada de votação. 

"Sinto uma grande alegria. Simplesmente. Ainda me faltam as palavras", afirmou.

O presidente da Academia Goncourt, Didier Decoin, elogiou o romance de Mohamed Mbougar Sarr, classificando-o como "hino da literatura".

O ganhador do Goncourt recebe um cheque simbólico de 10 euros (US$ 13), mas o prêmio garante ao agraciado a publicação e a venda de centenas de milhares de exemplares.

O escolhido do ano passado, L'Anomalie (A Anomalia), de Hervé Le Tellier, vendeu mais de um milhão de livros, algo que não se via desde O Amante, de Marguerite Duras.

Também nesta quarta, 3, a escritora belga Amélie Nothomb, cujas obras são muito populares e foram traduzidas para diferentes idiomas, conquistou o prêmio Renaudot por Premier Sang.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.