Jean-Paul Pelissier/ Reuters - 18-5-2008
Jean-Paul Pelissier/ Reuters - 18-5-2008

Roberto Saviano critica ministro italiano que ameaça tirar sua escolta policial

Escritor foi jurado de morte após a publicação de seu livro 'Gomorra', sobre a máfia napolitana

AFP

22 Junho 2018 | 11h08

O escritor italiano Roberto Saviano, autor de Gomorra, livro em que denuncia a máfia napolitana, atacou de maneira dura nesta sexta-feira o ministro italiano do Interior, Matteo Salvini, que ameaçou retirar sua escolta policial.

Salvini, também presidente do partido de ultradireita Liga, afirmou na quinta-feira, 21, a uma rádio que seria útil avaliar se Saviano ainda precisa da proteção policial. A medida foi estabelecida em 2006, após a publicação de Gomorra e das ameaças de morte de um clã da Camorra, a máfia napolitana.

Roberto Saviano, muito crítico a respeito da Liga e de sua política anti-imigração, respondeu a Salvini, primeiro no Facebook e nesta sexta-feira, 22, na imprensa.

"Palhaço", afirmou em um vídeo publicado em sua página do Facebook. "Salvini tem como inimigos os imigrantes (...) os ciganos", disse, antes de destacar que fica "feliz de estar entre seus inimigos".

Nesta sexta-feira, em uma entrevista ao jornal Corriere della Sera, Saviano, de 38 anos, denunciou o clima "fétido" no qual os intelectuais vivem na Itália.

"E se eu e os imigrantes somos para Matteo Salvini objetivos para canalizar os piores impulsos, aqueles que se consideram protegidos estão equivocados. Ontem os imigrantes, hoje eu, amanhã podem ser vocês", disse.

As declarações de Salvini geraram polêmica depois que o governo italiano proibiu a entrada nos portos do país dos barcos de ONGs que ajudam os migrantes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.