Divulgação
Divulgação

Restos mortais do poeta Pablo Neruda retornam a Isla Negra

Seu corpo foi exumado em 2013 para determinar a causa da morte, já que havia a suspeita de envenenamento durante o golpe

Redação, AP

26 de abril de 2016 | 16h54

Os restos mortais do Nobel de Literatura chileno Pablo Neruda foram devolvidos nesta terça-feira, 26, à sua casa preferida, no povoado chileno de Isla Negra, no Pacífico, a cerca de 110 quilômetros de Santiago.

O poeta de esquerda morreu no caos que se seguiu ao golpe de estado no Chile, em 1973, e algumas pessoas pensavam que ele havia sido envenenado. Seu corpo foi exumado em 2013 para determinar a causa da morte. Segundo os peritos, não havia agentes tóxicos em seus ossos. No entanto, outros testes estão sendo feitos.

O autor é famoso por seus poemas de amor, mas também foi diplomata, político e amigo do presidente Salvador Allende, que se matou durante o golpe que acabou com seu governo.

Neruda teve três casas: La Sebastiana, em Valparaíso, La Chascona, em Santiago, e Isla Negra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.