Programação variada é a grande aposta da Bienal do Livro

Espetáculos de teatro, música e dança ganham espaço

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

16 de agosto de 2014 | 03h00

A programação multicultural e os debates temáticos com escritores e intelectuais são as grandes apostas da Bienal de São Paulo para atrair público ao Anhembi na semana que vem. Em tempos de megastores online e redes sociais, descobrir literatura em um evento tão grande quanto a Bienal já deixou de ser decisivo.

Nesta edição, a parceria da Câmara Brasileira do Livro com o Sesc São Paulo cresceu. O Sesc é responsável por quatro espaços maiores da Bienal, justamente os que abrigam a programação mais "intelectual" do evento. "O objetivo é trabalhar uma programação equilibrada, ligada ao mercado, mas que também envolva novas linguagens, por exemplo", diz Ivan Giannini, superintendente de comunicação do Sesc. "Temos um papel na promoção da leitura", garante, e acrescenta que autores trazidos a São Paulo para a Bienal devem participar de um percurso pelo interior do Estado e pelas unidades na capital. Não há contrapartida financeira na parceria.

A agenda multicultural tem um pouco de tudo. Teatro (a Cia Atores de Laura apresenta O Filho Eterno no dia 28), música (Hermeto Pascoal toca no dia 23), dança e cinema.

Mas claro que o enfoque é na literatura. Estarão lá os best-sellers de sempre (Ken Follet, Cassandra Clare, Harlan Coben e outros), mas talvez seja o Salão de Ideias o lugar que o leitor mais dedicado vai encontrar a sua programação preferida.

Entre os destaques internacionais da agenda do espaço, que deve propor temas variados para debates, estão o crítico literário alemão Hans Ulrich Gumbrecht, o crítico musical americano Alex Ross e o escritor libanês Elias Khoury.

PROGRAMAÇÃO

Sábado, 23

10h30

Bate-papo com Harlan Coben, na Arena Cultural sobre ficção policial

20h

Debate sobre o papel das livrarias e eventos na promoção da leitura, no Salão de Ideias

Domingo, 24

18h

Bate-papo sobre ficção científica com Hugh Howey, na Arena Cultural

20h

Salão de Ideias debate o lugar da crítica com Hans Ulrich Gumbrecht (foto) e Silviano Santiago

Terça-feira, 26

19h

No Espaço Imaginário, Fábio Moon e Gabriel Bá participam do Quem Faz, Conta

Quarta-feira, 27

19h

Na Escola do Livro, Galeno Amorim fala sobre a situação da leitura e do empréstimo de e-books no Brasil

Quinta-feira, 28

17h

Ignácio de Loyola Brandão e Rita Gullo conversam sobre literatura no Anfiteatro

20h

No Salão de Ideias, jornalistas debatem a Copa do Mundo foram de campo

Sexta-feira, 29

18h

Na Praça de Histórias, ocorre o tradicional Sarau do Binho

Sábado, 30

10h30

O maior vendedor de livros desta Bienal, Ken Follet, conversa com o público na Arena Cultural

13h

A atriz Denise Stoklos apresenta sua peça baseada na Carta ao Pai, de Kafka

Domingo, 31

11h

Laurentino Gomes (foto) explica por que estudar história (Arena Cultural)

16h30

Autores brasileiros contemporâneos debatem a reinvenção da linguagem no Salão de Ideias

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Bienal do Livro

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.