Divulgação
Divulgação

Primeira edição do livro 'Harry Potter e a Pedra Filosofal' é vendida por quase 50 mil euros

Obra de J.K. Rowling foi publicada pela primeira vez em 30 de junho de 1997

EFE

10 Novembro 2016 | 14h06

Uma primeira edição do livro Harry Potter e a Pedra Filosofal, que abriu a bem-sucedida saga da escritora britânica J.K. Rowling, foi vendido por 49.812 euros, revelou nesta quinta-feira a casa de leilões Bonhams, de Londres.

O leilão gerou uma intensa procura e superou amplamente as expectativas da Bonhams, segundo um porta-voz, que considerou que o exemplar, que tinha um preço inicial entre 17 mil e 23 mil euros, estava em "condições excelentes".

O novo proprietário dessa primeira edição do livro é um empresário de Londres, cuja identidade não foi revelada.

Harry Potter e a Pedra Filosofal é o primeiro dos livros que formam a popular saga de sete romances escritos por Rowling sobre as aventuras de um menino bruxo, que posteriormente foi levada ao cinema com enorme sucesso comercial", disse o porta-voz.

Parte do atrativo da primeira edição, de 1997, se deve a um raro erro de impressão que há na contracapa, onde falta a letra "o" da palavra "filosofal". A edição também é conhecida por um erro na página 53, na lista de material escolar para Hogwarts, a escola de magia existente na história criada por Rowling.

Especialista da seção dedicada a livros e manuscritos de Bonhams, Simon Roberts, considerou "excepcional" o preço pago pelo livro, que descreveu um "clássico moderno do qual gosta muito".

 

"O livro estava em excelentes condições, que é acrescentado ao atrativo que ele já tem para os colecionadores. Não me surpreende que tenha atraído tanto interesse e que tenha provocado um leilão tão intenso", avaliou o especialista.

Harry Potter e a Pedra Filosofal foi publicado pela primeira vez em 30 de junho de 1997 pela editora Bloomsbury e automaticamente se transformou em um sucesso mundial. Com a saga, a autora britânica vendeu mais de 400 milhões de cópias por todo o mundo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.