Hecto Gonzalez/Ministério do Cultura do Chile
Hecto Gonzalez/Ministério do Cultura do Chile

Poeta mapuche ganha pela primeira vez o Prêmio Nacional de Literatura do Chile

Elicura Chihuailaf une a tradição oral de seu povo indígena a uma escrita poderosa

Redação, AFP

02 de setembro de 2020 | 13h03

O poeta mapuche Elicura Chihuailaf se tornou o primeiro autor dessa comunidade indígena a receber o Prêmio Nacional de Literatura do Chile nesta terça-feira, 1º. 

Chihuailaf, 68 anos, recebeu o prêmio por levar "a tradição oral e o universo poético de seu povo para além das fronteiras de sua própria cultura", segundo a ministra das Culturas, Consuelo Valdés. 

A ministra anunciou o prêmio por meio de um ato virtual, onde destacou "sua vasta trajetória e sua capacidade de instalar a tradição oral de seu povo em uma escrita poderosa que transcende a escrita mapuche". 

"Com maestria e valendo-se de uma expressão muito própria, ele tem contribuído de forma determinada para difundir seu universo poético pelo mundo, ampliando a voz de seus ancestrais da contemporaneidade", acrescentou Valdés.

Chihuailaf, indicado duas vezes ao mesmo prêmio, destaca em suas letras a visão de mundo e a idiossincrasia mapuche - a maior população nativa do Chile - em sua relação com a natureza e a reivindicação da cultura indígena na poesia chilena. 

Ele integra um grupo de escritores que surgiu após o golpe de Augusto Pinochet em 1973, uma geração marcada pelo exílio. 

Seus textos, originalmente redigidos em castelhano e mapudungun (língua mapuche), foram traduzidos para dezenas de línguas em todo o mundo, nos quais também se destaca o apelo à conversa como única forma de entendimento com os povos indígenas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.