Giampiero Sposito/Reuters
Giampiero Sposito/Reuters

Papa Francisco presta homenagem ao 750º aniversário do poeta Dante Alighieri

Pontífice saudou "o altíssimo valor universal", e ainda muito atual, da obra do autor da Divina Comédia

EFE

04 de maio de 2015 | 12h18

VATICANO - O papa Francisco saudou "o altíssimo valor universal", e ainda muito atual, da obra do poeta italiano Dante Alighieri, autor da Divina Comédia. Hoje, comemora-se 750 anos de seu nascimento.

Em uma mensagem enviada ao presidente do Conselho Pontifício para a Cultura, Gianfranco Ravasi, o pontífice quis se juntar aos eventos previstos nesta segunda-feira no Senado italiano para comemorar o aniversário do poeta - que começou com um discurso do comediante, diretor e ator, e grande apaixonado por Dante, Roberto Benigni.

"Com esta mensagem, eu também gostaria de me juntar ao coro daqueles que consideram Dante Alighieri um artista do mais alto valor universal e que ainda tem muito a dizer e doar através de suas obras imortais", disse o papa.

Francisco enfatizou a utilidade de Dante "para aqueles que desejam trilhar o caminho do verdadeiro conhecimento. A verdadeira descoberta de si mesmo, do mundo e do significado profundo e transcendente da vida".

O papa argentino recordou como muitos de seus predecessores recorreram em seus trabalhos à figura de Dante por sua "atualidade e sua grandeza não só artística, mas também teológica e cultural". Entre eles, Francisco cita a encíclica In praeclara summorum (1921), do papa Bento XV, dedicada ao centenário da morte do chamado 'sumo poeta', e que Paulo VI também dedicou à Dante o documento Altissimi Cantus, em 1965.

Francisco também apontou que em sua primeira encíclica, assinada com Bento XVI, Lumen Fidei, ele descreveu a "luz da fé" em referência às "palavras evocativas do poeta". Para Jorge Bergoglio, a Divina Comédia (1555) "é uma grande viagem, uma verdadeira peregrinação tanto pessoal e interior quanto eclesiástica, social e histórica (...) para chegar a uma nova condição, marcada pela harmonia, a paz e felicidade".

"Dante é, portanto, o profeta da esperança, um pregador do resgate, da libertação da profunda mudança de cada homem e mulher, de toda a humanidade", disse o pontífice. O papa também deseja que esta celebração, assim como na preparação do sétimo centenário da morte, em 2021, seu trabalho "novamente seja compreendido e valorizado."

Mais conteúdo sobre:
Dante AlighieriPapa Francisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.