Oprah Winfrey escolhe romance 'Freedom' de Jonathan Franzen

A rainha dos talk shows da televisão norte-americana, Oprah Winfrey, escolheu o romance best-seller "Freedom", de Jonathan Franzen, para o seu clube do livro na sexta-feira. Deixando de lado contratempos passados com o autor, ela chamou o livro de "obra-prima".

ANDREW STERN, REUTERS

17 de setembro de 2010 | 15h00

"Eu aposto que "Freedom", de Jonathan Franzen, acabará sendo para vocês como é para mim: um dos melhores romances que vocês já leram", disse Winfrey, enquanto sua equipe distribuía exemplares para a plateia do programa em um estúdio em Chicago.

"Esse livro é uma obra-prima abrangendo três décadas", disse Winfrey sobre a 64a escolha de seu programa, que está em sua 25a e última temporada e é visto por milhões de pessoas em 145 países.

"É uma saga familiar épica. Tem de tudo. Tem sexo e amor, até rock and roll, e tudo o que você gostaria em um livro", disse Winfrey.

Em 2001, Winfrey selecionou o livro "As Correções", de Franzen, mas o romancista esnobou a apresentadora, dizendo que as escolhas do seu clube do livro eram "unidimensionais e piegas" e temia que a recomendação dela pudesse afastar seus leitores do sexo masculino.

Winfrey cancelou a participação de Franzen no programa, dizendo que aparentemente ele estava "desconfortável" por ter sido selecionado.

O livro foi um sucesso de vendas, talvez auxiliado pela atenção extra da mídia.

Desta vez, Winfrey disse que enviou um bilhete a Franzen pedindo a permissão para selecionar o romance mais recente "porque temos uma historinha".

Em entrevistas, Franzen disse que ficaria feliz se Winfrey escolhesse seu romance.

Franzen, de 51 anos, lançou "Freedom" no mês passado e o livro foi parar no topo da lista de ficção do New York Times. A crítica do jornal afirmou que a história de uma família liberal de classe média americana era "o romance mais profundo" que Franzen já escreveu.

Tudo o que sabemos sobre:
LIVROFRANZENOPRAH*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.