Paulo Pinto/Estadão
Paulo Pinto/Estadão

'O Tempo Entre Costuras', best-seller de María Dueñas, ganha continuação

'Sira', o novo livro de María Dueñas, começa no final da Segunda Guerra e tem como cenário cidades como Jerusalém, Madri, Londres e Tânger

Redação, O Estado de S. Paulo

02 de fevereiro de 2021 | 09h00

A escritora espanhola María Dueñas, que ficou famosa com o romance O Tempo Entre Costuras, lança, pouco mais de 10 anos da publicação deste livro que virou best-seller internacional e ganhou adaptação para série de TV, a continuação da história de Sira Quiroga. Sira chega às livrarias brasileiras em maio, pela Planeta - em países de língua espanhola, o lançamento será em abril.

Em O Tempo Entre Costuras, que vendeu 5 milhões de exemplares no mundo e 200 mil no Brasil, Sira é uma jovem costureira que deixa Madri e vai atrás do homem que ama no Marrocos poucos meses antes do início da Guerra Civil Espanhola (1936-1939) e com o passar do tempo, e a chegada da Segunda Guerra Mundial, se vê envolvida em um mundo de espiões, impostores e fugitivos.

No novo livro, Sira, o cenário se alterna entre Jerusalém, Londres, Madri e Tânger no final da Segunda Guerra Mundial. A protagonista vai enfrentar momentos de dor e viver reencontros, assumirá compromissos arriscados e passará pela experiência da maternidade.

"Quase 12 anos após sua chegada às livrarias, Sira está de volta. Resgatá-la nesse romance tem sido fascinante. Juntas percorremos cenários, intrigas e momentos que marcaram uma época. Espero que esse reencontro cative mais uma vez todos aqueles que gostaram de O Tempo Entre Costuras", disse a escritora María Dueñas em comunicado da editora.

María Dueñas é autora, ainda, de A Melhor História Está Por Vir, As Filhas do Capitão e Destino: La Templanza, todos publicados pela Planeta.

Em 17 episódios, a série baseada em O Tempo Entre Costuras ficou disponível na Netflix até setembro de 2020.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.