Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Nova no mercado, editora Buzz chega prometendo alto

Empresa quer competir com os grandes grupos do mercado editorial brasileiro, zelando pela qualidade

Guilherme Sobota, O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2016 | 04h00

Uma nova editora quer chegar com “tiros de 12” no mercado editorial brasileiro: a Buzz Editora, de Anderson Cavalcante (ex-Sextante e Gente) e Simone Paulino (editora Nós), coloca nesta terça-feira, 1º, seus primeiros livros nas prateleiras Brasil afora, com uma promessa nada modesta: “quero ser a melhor editora do País”, diz Cavalcante. A casa vai editar livros de autoajuda, negócios, ficção comercial e não ficção em geral. A previsão de faturamento para 2017 é de R$ 20 milhões.

A dupla tem uma amizade “editorial” duradoura de 15 anos, experiência no mercado e faro para grandes lançamentos: juntos, fizeram o livro-presente Minha Mãe, Meu Mundo (Sextante), que vendeu mais de 400 mil exemplares e frequenta as listas de mais vendidos todos os dias das mães há alguns anos. Cavalcante – que entrou na Editora Gente como office-boy e saiu como sócio, período em que lançou, entre muitos outros, Quem Ama, Educa!, e até recentemente era nome forte da Sextante, grupo editorial com maior faturamento do Brasil – quer contornar o modelo padrão das grandes editoras brasileiras ao juntar autores com grande potencial, “transformador” e de vendas, a um processo de edição que extrapola o objeto do livro, sem deixá-lo de lado.

“Por que todas as editoras não fazem isso?”, questiona. “Porque dá muito trabalho”, diz, enfatizando o “muito”. “O mundo digital dá resultados incríveis em questão de vendas”, aponta, animado. Ações nas redes sociais e em outros produtos digitais, focando em campanhas de propagação – daí o nome Buzz –, é uma das diretrizes da nova editora. “É menos dinheiro e mais assertividade.”

Simone – que continua com sua editora Nós, voltada para livros de literatura – explica que vai zelar pela qualidade editorial das novas edições, que têm outra característica. “Às vezes, esses textos são como fogos de artifícios, mas, para algumas pessoas, uma sacada dessas pode mudar muito”, comenta. “O mercado está apático, não tem nada acontecendo... a ideia é mudar isso.”

Uma grande vantagem da Buzz é já começar sua carreira negociando os livros diretamente com as grandes redes de livrarias, fato reservado para editoras mais antigas e maiores. “Vamos correr o risco de estar entre as maiores editoras do Brasil”, diz Cavalcante, enfatizando: “vamos lançar livros honestos, não só para vender”.

As apostas, ainda para 2016, incluem seis livros, com tiragem média de 12 a 15 mil exemplares, grande para os padrões nacionais. Um deles é O Que É Impossível Para Você, de Marcos Rossi – advogado de formação, bancário de sucesso, DJ, músico, palestrante e desportista. Rossi nasceu com síndrome de Hanhart, deficiência congênita que impede o desenvolvimento dos braços e das pernas – esse é seu primeiro livro publicado por uma editora profissional.

Outro é o terceiro volume da série Geração de Valor, do empresário Flávio Augusto da Silva (bestseller que vendeu mais de 300 mil exemplares). A youtuber Bruna Louise, também apresentadora do Multishow, vai estrear no mercado editorial com o livro Desbocada, Desfocada, Deslocada, derivado do seu canal de sucesso na web.

Os outros livros previstos ainda para este ano são: Homem Que Sente, de Mateus Jacob, Do Zero ao Milhão, de Carlos Wizard, e Sacadas de Empreendedor, de Érico Rocha.

Mais conteúdo sobre:
Literatura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.