Columbia
Columbia

Nobel de Literatura Kazuo Ishiguro teve obras adaptadas para o cinema, como 'Vestígios do Dia'

Escritor foi anunciado nesta quinta, 5, como vencedor do Prêmio Nobel de Literatura

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

05 Outubro 2017 | 08h52

Kazuo Ishiguro nasceu na cidade mártir de Nagasaki, no Japão. Aos 5 anos, mudou-se com a família para a Inglaterra, tornando-se um escritor de língua inglesa. A revista Time colocou-o em 32.º lugar na sua lista de maiores escritores ingleses do pós-guerra. Time muito provavelmente terá de fazê-lo avançar algumas posições, agora que ele ganhou o Nobel de Literatura.

Ishiguro escreveu roteiros - A Profile of Arthur J. Mason, The Gourmet, The Saddest Music in the World, The White Countess. O mais inglês dos cineastas americanos, James Ivory, adaptou justamente A Condessa Branca em 2005 e, mais de dez anos antes, Vestígios do Dia, em 1993. Uma terceira adaptação para cinema foi Never Let Me Go/Não Me Abandone Jamais, por Mark Romanek, com Carey Mulligan e Andrew Garfield, em 2010. Ivory, um cineasta meticuloso, mas cuja mise-en-scène sempre foi um tanto débil, talvez sonhasse em ser Luchino Visconti. Só uma vez ele chegou perto, e foi justamente com Vestígios do Dia

* Kazuo Ishiguro volta ao romance com ‘O Gigante Enterrado’

Anthony Hopkins faz o mordomo de uma mansão tradicional. Passa a vida servindo a um aristocrata decadente, que flerta com os radicalismos de direita. Em sua submissão - nasceu para servir -, Hopkins desperdiça o afeto de Emma Thompson, que vai trabalhar na casa. É um filme feito com sentido do detalhe, muito bem interpretado. É duro, sobre essas vidas desperdiçadas. O próprio Ivory disse que bastou-lhe seguir o fluxo de Ishiguro. É seu melhor filme.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.