No encerramento da Flip, pajé diz ter sido ameaçado de morte

Davi Kopenawa fez um pronunciamento no encerramento da Mesa de Cabeceira, neste domingo, 3

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

03 de agosto de 2014 | 20h35

PARATY - O pajé Davi Kopenawa pediu a palavra no encerramento da Flip para falar das ameaças ao povo Ianomâmi. "Estou muito preocupado. Os fazendeiros e os garimpeiros têm muito dinheiro para matar o índio. Não quero repetir o que aconteceu há 40 anos com o meu amigo Chico Mendes, que defendia as florestas e os garimpeiros mataram", disse.

Antes de embarcar para o festival, Kopenawa registrou, na Polícia Federal e no Ministério Público, denúncia de que estaria sofrendo ameaça de morte. Suas críticas no início da noite deste domingo, 3, tinham um alvo: a família do senador Romero Jucá: "O filho dele mora em Roraima e está mandando os garimpeiros entrarem na terra dos Ianomâmi. Ele não pode continuar a destruir a natureza. Isso é ilegal, eles não estão respeitando a Constituição Federal."

O filho do senador é candidato a vice-governador de Roraima, Rodrigo Jucá (PMDB). O empresário de 32 anos compõe chapa com candidato ao governo do Estado Chico Rodrigues (PSB). O senador rebate a acusação, afirmando que Kopenawa aproveitou a Flip para criar um "fato político".

O senador alega que Kopenawa apoia a candidata de oposição Ângela Portela (PT) e estaria acusando seu filho para tensionar a disputa local. "Como meu filho é candidato na outra chapa, ele quer criar um fato político", afirmou ao Estado.(COM A SUCURSAL DE BRASÍLIA)

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
FlipDavi Kopenawa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.