Reprodução
Reprodução

Neruda, Vargas Llosa e Chico Buarque entre os lançamentos em espanhol de 2015

Livro de Pablo Neruda terá 21 poemas inéditos; confira as obras a serem publicadas na Espanha no primeiro trimestre

Jose Oliva, EFE / BARCELONA

01 Janeiro 2015 | 18h53

As últimas criações de Mario Vargas Llosa, Murakami, Camilleri, Alicia Giménez Barlett e Rosa Montero integram as novas publicações em espanhol no primeiro trimestre de 2015, ano em que será editado um livro de poemas inéditos de Pablo Neruda.

Teus Pés Toco na Sombra e Outros Poemas Inéditos (Seix Barral) será uma das sensações da temporada, com 21 poemas inéditos do chileno Neruda escritos em cadernos, na contracapa de um programa musical e no cardápio em um barco em plena travessia, e ainda a alguns mil quilômetros de altura, a caminho do Rio de Janeiro. Outro destaque é o volume Os Cuentos de la Peste (Alfaguara), de Mario Vargas Llosa, uma peça de teatro inédita inspirada no Decameron.

Serão lançados, ainda, Antología Personal (Anagrama), de Ricardo Piglia; Aquello Estaba Deseando Ocurrir (Tusquets), de Leonardo Padura; Sara (Alfaguara), de Sergio Ramírez; e El Metal y la Escoria (Tusquets), de Gonzalo Celorio.

A ficção espanhola será liderada por Donde no Estás (Destino), de G. Martín Garzo; El Juego Sigue Sin mi (Siruela), de Martín Casariego; Ese Príncipe Que Fui, de Jordi Soler, sobre o último descendente espanhol de Montezuma; e Distintas Formas de Mirar el Agua (ambos pela Alfaguara), de Lulio Llamazares.

E ainda Génesis (Random House), de Félix de Azúa; Blitz (Anagrama), de David Trueba; e El Mundo Azul. Ama tu Caos (Grijalbo), de Albert Espinosa. Entre outras novidades também estão Com el Cielo a Cuestas (Random House), de Gonzalo Suárez; Los Turistas (Galaxia), de Jorge Carrión; e People From Ibiza (Plaza y Janés), de José Corbacho e Juan Cruz. 

O romance policial espanhol estará bem representado por obras como Crimes Que no Olvidaré (Destino), de Alicia Giménez Barlett; El Peso del Corazon (Seix), de Rosa Montero; Nueve Días de Abril (Plaza), de Jordi Sierra i Fabra; El Aroma Del Crimen (Destino), de Xabier de Gutiérrez; e In Vino Veritas (Suma), um thriller enológico de Virginia Gasull.

Entre as novidades do romance histórico estão Escrito Com la Sangre de mi Corazón (Planeta), de Diana Gabaldon; En el Corazón del Mar (Seix), de Nathaniel Philbrick, que narra a história real na qual Melville se inspirou para escrever Moby Dick; e Mi Nombre es Jamaica (Edhasa), de José Manuel Fajardo, que encerra sua trilogia sefardita.

Apreciadores do gênero também podem poderão escolher entre Las Páginas del Mar (Grijalbo), de Sergio Martínez, que narra a viagem de Magalhães em 1519; Mr. Holmes (Roca), de Mitch Cullin; La Pintora de Estrellas (Suma de Letras), de Amelia Noguera; La Lengua de los Secretos (Roca), de Martín Arrisketa; El Maestro (B), de Màrius Mollà; Muerte en la Acropolis, de Andrea Maggi; e El Guardián de la Luz (Duomo), de Anita Nair.

Ao lado da poesia de Neruda, sairão Obra Completa de Lorca (DeBolsillo), em sete volumes, Desaprendizages (Seix), de J. M. Caballero Bonald; e Pleamargen. Poesía 1940-1948 (Galaxia G), de André Breton.

Na área dos clássicos, a Seix publicará Deseo que Venga el Diablo, de Mary MacLane, um best-seller de 1902, inédito em espanhol, e também Hermanos de Sangre, de Ernest Haffner, obra proibida e queimada pelos nazistas há quase 80 anos. 

Entre as obras estrangeiras a serem lançadas em espanhol, destaque para Haruki Murakami, com os seis contos de Hombres y Mujeres (Tusquets), título inédito com personagens masculinos que perderam as mulheres que amavam; James Elroy, com Perfidia (Random House); Jonathan Coe com Expo 58; Amélie Nothom, com La Nostalgia Feliz (Anagrama); e Rachel Joyce, com El Año que dos Segundos (Salamandra). A editora Siruela iniciará em 2015 a Biblioteca Amos Oz com Quizás en Otra Parte, seu primeiro romance. E El Hermano Alemán, livro de Chico Buarque recém-lançado aqui, sairá pela Random House.

Mais conteúdo sobre:
LiteraturaLiteratura espanhola

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.