CHRISTINA RUFFATO / ESTADÃO
CHRISTINA RUFFATO / ESTADÃO

Nélida Piñon é reconhecida com o prêmio português Vergílio Ferreira

Com raízes galegas, a escritora faz parte da Academia Brasileira das Letras desde 1990 e recebeu vários prêmios, entre eles o Prêmio Internacional Menéndez Pelayo e o Prêmio Príncipe de Astúrias das Letras

EFE, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2018 | 16h02

A escritora Nélida Piñon foi reconhecida nesta quinta-feira com o prêmio Vergílio Ferreira 2019, entregue pela Universidade de Évora, que desde 1997 reconhece anualmente o conjunto da obra literária de um autor de língua portuguesa nos âmbitos da narrativa e do ensaio.

A decisão foi tomada por um júri presidido pelo professor Antonio Sáez Delgado, e integrado também por docentes de outras universidades e pela crítica literária Anabela Mota Ribeira, segundo informou a universidade.

Nascida no Rio de Janeiro em 1937, Nélida Piñon se formou em Jornalismo com 20 anos e pouco depois começou seu trabalho como correspondente na revista Mundo Novo e como colaboradora na publicação Cadernos Brasileiros.

Durante este período, escreveu seus livros de contos Tempo das frutas (1966) e Sala de Armas (1973) e seus romances Fundador (1969) e A Casa da paixão (1972).

Com raízes galegas, Nélida Piñon faz parte da Academia Brasileira das Letras desde 1990 e recebeu vários prêmios, entre os quais se destacam o Prêmio Internacional Menéndez Pelayo (2003) e o Prêmio Príncipe de Astúrias das Letras (2005).

Entre os agraciados de outros anos pelo Vergílio Ferreira aparecem nomes como Eduardo Lourenço, Vasco Graça Moura, Hélia Correia, Lídia Jorge, Gonçalo M. Tavares e Mia Couto.

Mais conteúdo sobre:
Nélida Piñon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.