Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Mulheres dominam no prêmio literário da Biblioteca Nacional

A mineira Adélia Prado ganhou na categoria poesia , Sheyla Smanioto venceu como melhor romance e Marta Barcellos foi a escolhida na categoria conto

Antonio Gonçalves Filho, O Estado de S. Paulo

18 Novembro 2016 | 18h55

As mulheres são as grandes vencedoras do prêmio literário da Biblioteca Nacional deste ano, dominando três categorias: conto (Marta Barcellos, por Antes que Seque), poesia (Adélia Prado, por Poesia Reunida) e romance (Sheyla Smanioto, por Desterro). Coincidentemente, as três autoras foram publicadas pela mesma editora, Record. Os vencedores das nove categorias do Prêmio Literário da Biblioteca Nacional 2016 foram anunciados hoje, 18, pela Fundação Biblioteca Nacional. Eles vão receber R$ 30 mil (cada categoria) no dia 12 dezembro, em cerimônia a ser realizada na Biblioteca Nacional.

Além das autoras citadas, foram também contemplados com o prêmio o escritor Murilo Marcondes de Moura (na categoria ensaio, por O Mundo Sitiado: a Poesia Brasileira e a Segunda Guerra Mundial), Douglas Attila Marceklino (categoria ensaio social, por O Corpo da Nova República: Funerais Presidenciais, Representação Histórica e Imaginário Político), Eliando Rocha (na categoria literatura infantil, por Roupa de Brincar), Érica Bombardi (na categoria literatura juvenil, por Canto do Uirapuru), Raquel Matsushita (categoria projeto gráfico, pela coleção Pedro  Fugiu de Casa) e José Roberto Andrade Féres (pela tradução de O Sumiço, publicado pela editora Autêntica). O prêmio da Biblioteca Nacional é realizado anualmente desde 1994.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.