Muitos prêmios Nobel da Paz traem ideia do fundador, diz livro

Os guardiões do Prêmio Nobel da Paz traíram o objetivo original de premiar os "campeões da paz" ao escolher vencedores como a Cruz Vermelha ou o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, segundo um livro visto pela Reuters nesta sexta-feira.

ALISTER DOYLE, REUTERS

27 de agosto de 2010 | 12h12

"O Prêmio Nobel da Paz, o Que Nobel Realmente Queria", contém diários ainda não publicados do falecido presidente do comitê, revelando as acirradas disputas nas últimas décadas sobre como deveria ser interpretado o testamento, de 1895, do fundador do prêmio, o sueco Alfred Nobel.

"O comitê está ignorando Nobel e concedendo um prêmio da paz segundo suas próprias ideias. É uma falha moral", disse o autor, o advogado Fredrik Heffermehl à Reuters. O livro em inglês é uma versão expandida do livro em norueguês de 2008.

Os guardiões do prêmio já rejeitaram no passado a interpretação de Heffermehl das intenções de Nobel e suas críticas de muitos prêmios entregues desde os anos 1950, dizendo que são especulativas.

Heffermehl escreveu que Nobel, um filantropo e o inventor do dinamite, queria recompensar os "campeões da paz", enfatizando a desmilitarização e congressos de paz, algo que o comitê do prêmio tem feito menos nas últimas décadas.

Ele disse que Obama, que venceu o prêmio em 2009, não deveria estar na lista -- apesar de seu objetivo de desarmamento nuclear -- em parte por causa do envolvimento dos EUA nas guerras do Afeganistão e do Iraque.

Tudo o que sabemos sobre:
LIVRONOBEL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.