Jim Cole/AP
Jim Cole/AP

Morre Tomie dePaola, autor de livros para crianças, aos 85 anos

Ele é autor da série de livros infantis com a personagem Stregna Nona, uma idosa e bondosa bruxa italiana

Kathy McCormack, AP

31 de março de 2020 | 08h45

Tomie dePaola, o prolífico escritor e ilustrador que encantou gerações com os contos de Strega Nona, a bondosa bruxinha italiana, morreu na segunda-feira, 30, em um hospital de New Hampshire, de acordo com seu agente literário Doug Whiteman. Ele tinha 85 anos, se machucou numa queda na semana passada e morreu por complicações da cirurgia a que foi submetido depois.

Um dos principais nomes da literatura infantil americana, ele trabalhou em mais de 270 livros durante mais de meio século e vendeu quase 25 milhões de exemplares no mundo todo - eles foram publicados 20 línguas. No Brasil, há dois títulos - Strega Nona - A Avó Feiticeira e Carlinhos Precisa de Uma Capa - no catálogo da Global.

Strega Nona, seu mais famoso personagem, surgiu como um rabisco durante uma reunião maçante na Colby Sawyer College, em New London (New Hampshire), onde Tomie dePaola integrava o departamento de teatro. O primeiro conto foi baseado em uma das histórias preferidas de sua infância - sobre uma panela que não para de produzir mingau.

Strega Nona: An Original Tale saiu em 1975. A série inclui outros títulos, como Strega Nona's Magic Lessons e Strega Nona Meets Her Match. Refletindo sobre a popularidade da personagem, dePaola disse para a Associated Press em 2013: “Acho que é porque ela se parece com a avó de todo mundo. Ela é fofa, mas não bonita; é legal e engraçada; é doce e compreensiva. E ela é  um pouco atrevida e fica irritada de vez em quando.”

Tomie DePaola contou que ele colocou Strega Nona na Calábria, na Itália, porque foi de lá que seus avós vieram.  

Entre seus outros livros (muitos deles são autobiográficos) estão 26 Fairmont Avenue, sobre crescer em Connecticut durante a Grande Depressão, e The Art Lesson. Alguns de seus livros resgatam contos folclóricos e lendas, e ele gostava de escrever sobre o Natal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.