Claudia Daut/Reuters
Claudia Daut/Reuters

Morre aos 89 anos o poeta cubano Roberto Fernández Retamar

Escritor presidia a Casa de Las Americas e foi laureado com o Prêmio Nacional de Literatura de Cuba

Redação, AFP

21 de julho de 2019 | 16h19

HAVANA - O poeta e intelectual cubano Roberto Fernández Retamar morreu neste sábado, 21, em Havana, aos 89 anos. A informação é da Casa de las Américas, instituição cultural cubana que o escritor presidiu desde 1986. "A casa da intelectualidade latino-americana está de luto", afirmou o órgão. "Querido Roberto, muito obrigado por nos deixar a obra, lucidez e compromisso", escreveu o presidente de cuba Miguel Díaz-Canel. 

Nascido en Havana, em 9 de junho de 1930, Retamar, foi poeta, ensaísta e um agitador cultural na ilha. Foi laureado com o Prêmio Nacional de Literatura em 1989, integrou a Academia Cubana de Língua, além de ser um dos membros da Real Academia Espanhola. 

Uma de suas principais obras é o ensaio Caliban (1971), em que ele reflete sobre a cultura caribenha e latino-americana. 

Retamar foi um agente da revolução cubana de 1959 e fez parte do governo de Fidel Castro. Entre 1998 e 2013, foi deputado da Assembleia Nacional e membro do Conselho de Estado. Traduzido e publicado em diversos idiomas, Retamar teve também uma trajetória importante como professor e editor.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.