AP
AP

Morre a escritora britânica P. D. James

Autora de romances policiais se popularizou com as histórias do detetive Adam Dalgliesh

AP

27 de novembro de 2014 | 11h49

Atualizado às 12h16.

LONDRES - A editora Faber and Faber divulgou nesta quinta-feira, 27, que a escritora de romances policiais britânica P.D. James, que levou personagens modernos e realísticos para a clássica história de detetives, morreu aos 94 anos.

Seus livros venderam milhões de cópias em muitos países, e boa parte deles era tão popular no papel quanto nas adaptações para TV e cinema. A editora afirma que ela morreu na sua casa em Oxford, sudeste da Inglaterra.

Por causa da qualidade e da estrutura cuidadosa de sua escrita, assim como pelo seu elegante e intelectual detetive Adam Dalgliesh, ela era vista primeiro como uma sucessora natural de escritoras como Dorothy L. Sayers, da "Era Dourada" do romance policial no período entre-guerras.

No Brasil, sua obra ficcional era editada pela Companhia das Letras. Entre os diversos títulos no catálogo da editora, estão Causas Nada Naturais (2011), Mortalha Para Uma Enfermeira (2011) e Morte em Pemberley (2013).

Em 2012, foi lançado por aqui, pela editora Três Estrelas, o livro Segredos do Romance Policial, uma visão pessoal mas muito acurada sobre o gênero do qual ela era considerada umaespecialista. Na ocasião, a escritora concedeu uma entrevista por telefone ao Estado, de Londres.

"No meu caso, ao abrir algum de meus livros, você estará diante de uma mulher mentalmente organizada, que consegue alinhar ordeiramente o que está desordenado, que se sente satisfeita ao finalizar um quebra-cabeça e que é alguém interessado nos detalhes - a caracterização é o coração das minhas obras. Quem escreve histórias de detetive necessita impor a ordem e a justiça (ainda que imperfeita) no caos", disse a autora ao jornal, em 2012.

Quando questionada o que explicaria o fato de que mulheres são ótimas autoras de histórias de detetive, P. D. James respondeu: "Acredito que as autoras criam um tipo específico de trama policial, maisinteressada nos detalhes e com um olhar mais humano, o que muitas vezes tornasuas histórias mais críveis.  Agatha Christie tornou-se famosa especialmente porisso, além de seu interesse pelos motivos que movem os personagens.  Aliás, essaé outra característica da escrita feminina: as razões que movem as pessoas nessemundo tão violento.  Raramente você verá alguém abrindo uma porta aos pontapésno romance de uma autora.  Nosso trabalho, eu diria, é mais familiar."

Phyllis Dorothy James nasceu em Oxford, em agosto de 1920. Seu pai era um coletor de impostos e nunca conseguiu pagar-lhe uma faculdade, fato que ela sempre lamentou. Seu primeiro romance, Cover Her Face, foi publicado em 1962 e teve uma ótima recepção crítica, mas ela só abandonou o emprego no serviço público britânico em 1979, quando, no ano seguinte, Innocent Blood explodiu também em popularidade.

A Associação de Escritores de Mistério da Inglaterra concedeu a P.D. James a Adaga de Diamante em 1997, e em 2005 ela recebeu do National Arts Club a Medalha de Honra de Literatura.

A Rainha Elizabeth II concedeu-lhe o título de Baronesa do Holland Park em 1991, em reconhecimento ao seu trabalho como chefe da BBC entre 1988 e 1993.

Tudo o que sabemos sobre:
PD James

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.