Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Milton Hatoum se torna o terceiro brasileiro a vencer o prêmio francês Roger Caillois

Antes do colunista do 'Estado', receberam o prêmio Haroldo de Campos, em 1999, e Chico Buarque, em 2016

O Estado de S.Paulo

09 Novembro 2018 | 11h45

O escritor e colunista do Estado, Milton Hatoum, se tornou esta semana o terceiro brasileiro a vencer o prêmio literário francês Roger Caillois. Antes dele, Haroldo de Campos e Chico Buarque haviam sido os únicos a ganhar a láurea, em 1999 e em 2016, respectivamente. 

O prêmio que leva o nome do sociólogo, crítico literário e ensaísta francês Roger Caillois é distribuído desde 1991 e, anualmente, celebra o conjunto da obra de autores latino-americanos e de língua francesa. A entrega da edição de 2018 do prêmio ocorre em 13 de dezembro. 

Em entrevista à Rádio França Internacional (RFI), Hatoum se disse honrado em receber a homenagem. "É um prêmio importante para a literatura da América Latina", declarou. "O fato de ganhar, e de ter dois ilustres conterrâneos como vencedores, o Haroldo e o Chico Buarque, é uma honra para mim."

Hatoum, cuja obra mais recente é A Noite da Espera, lançado no ano passado, primeiro volume da trilogia O Lugar Mais Sombrio, que recupera o ambiente nebuloso da Ditadura Militar, deve lançar a continuação em breve. "Comecei a escrever essa trilogia em 2007", afirmou à RFI. "Esse ano, revisei o segundo volume. Durante a revisão, eu percebi que o ambiente não é muito diferente do que está acontecendo hoje." Ainda segundo o autor, o novo "tempo sombrio" brasileiro "vai ser longo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.