Rodrigo Cavalheiro
Rodrigo Cavalheiro

Mauricio de Sousa visita Quino

Os mais famosos desenhistas da América do Sul se encontraram em Buenos Aires

Rodrigo Cavalheiro, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2015 | 14h17

BUENOS AIRES

Mafalda, a menina argentina mais famosa no mundo, recebeu em sua cidade natal, na terça-feira, 21, os parabéns por seus 50 anos da amiga brasileira Mônica, quase dois anos mais velha. O encontro das duas crianças cinquentonas ocorreu no Centro Cultural Brasil-Argentina, em Buenos Aires. 



Mauricio de Sousa, que colocou a dentuça no mundo em 3 de março de 1963, se reuniu com o argentino Joaquín Salvador Lavado Tejón, o Quino, que "registrou" o nascimento de sua pupila em 29 de setembro de 1964. A pequena filósofa argentina apareceu de fato pela primeira vez em uma campanha publicitária em 1963, ou seja, tem a mesma idade de Mônica. Na ficção, a brasileira tem 7 anos e a argentina, 6.

O encarregado de aproximar os dois quadrinistas foi o embaixador brasileiro, Everton Vargas. Por casualidade, o local escolhido para Mauricio presentear Quino com o desenho das duas personagens - uma cópia está no lugar desde o ano passado - foi na vizinhança de Mafalda, o Bairro de San Telmo.

Mauricio, de 79 anos, criou Mônica inspirado na filha homônima. A menina gorducha, dentuça e baixinha apareceu pela primeira vez na "Folha de S. Paulo" e ganhou em 1970 sua própria revista. Suas histórias foram adaptadas para televisão, cinema e videogames. 

Quino nasceu em Mendoza e aos 18 anos mudou-se para Buenos Aires. Publicou seus primeiros desenhos em 1954. Mafalda, uma menina de cabelos negros que não gosta de sopa - uma referência à ditadura militar - e contradiz os adultos apareceu no semanário “Primera Plana”. Suas histórias foram publicadas regularmente até junho de 1973. Ela é cultuada em vários países, principalmente na América Latina e no sul da Europa. Aos 82 anos, Quino deixou de desenhar há sete, por problemas na vista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.