Aaron Chown/Pool via Reuters
Aaron Chown/Pool via Reuters

Margaret Atwood é homenageada pela rainha Elizabeth no Castelo de Windsor

Criado em 1917, o prêmio é dado àqueles que fizeram 'uma grande contribuição às artes, ciência, medicina ou governo que perdura por um longo período de tempo'

Redação, Com Reuters

25 de outubro de 2019 | 13h17

Margaret Atwood aumentou sua longa lista de homenagens, nesta sexta-feira, 25, ao se tornar membro da Ordem de Companheiros de Honra por seus serviços à literatura, em um cerimônia no Castelo de Windsor, no Reino Unido. A autora canadense de 79 anos, que escreveu o romance distópico best-seller O Conto da Aia, de 1985, disse ter ficado “comovida” ao receber a homenagem da rainha Elizabeth, de 93 anos. 

O Conto da Aia foi adaptado com grande sucesso para a TV e The Handmaid's Tale já foi renovada para a quarta temporada. A história se passa em um futuro próximo, no qual o estado da Nova Inglaterra foi desmantelado por um golpe teocrático do qual nasceu Gilead, regime tirânico que impõe castigos brutais e o estupro é um mandato do novo Estado, em meio a uma crise de infertilidade.

“Fiquei um pouco comovida. Você está contemplando muita história, e sou velha o suficiente para lembrar muito desta história”, disse Margaret Atwood à agência de notícias PA Media após a cerimônia, segundo uma citação da mídia britânica.

“Ela foi brilhante na guerra... quando você vê a rainha com essa idade e o cronograma que ela cumpre, é uma inspiração para todos, você segue em frente”.

Mais tarde Atwood posou para fotos diante do Castelo de Windsor.

Criado pelo rei George 5º em 1917, o prêmio é dado àqueles que fizeram “uma grande contribuição às artes, ciência, medicina ou governo que perdura por um longo período de tempo”. Segundo o site oficial da realeza, sempre existem 65 membros contemplados pela honraria.

Entre os atuais estão a atriz Maggie Smith, o ex-primeiro-ministro britânico John Major e a historiadora canadense Margaret MacMillan.

Ainda neste mês, Atwood conquistou o prestigioso prêmio literário Booker Prize, que dividiu em uma ocasião rara com a autora britânica Bernardine Evaristo, por The Testaments, a sequência de O Conto da Aia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.