Divulgação
Divulgação

Lydie Salvayre vence Prêmio Goncourt com o romance 'Pas Pleurer'

Obra mistura relatos da mãe da autora e de George Bernanos para retratar o período da Guerra Civil Espanhola

O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2014 | 14h38

A escritora francesa de origem espanhola Lydie Salvayre, de 66 anos, venceu nesta quarta-feira, 5, o Goncourt, o mais prestigioso prêmio literário da França, pelo romance Pas Pleurer

O livro é centrado na Guerra Civil Espanhola, período marcante também para os pais da autora. Eles deixaram a Espanha e se mudaram para o sul da França com o fim do conflito para fugir do regime franquista. Nesta ficção, a autora mescla relatos de sua mãe, que tinha 15 anos quando a guerra começou, com os do escritor Georges Bernanos, que também presenciou seu início.  

O prêmio é dado anualmente ao melhor e mais criativo livro em prosa lançado no país no ano anterior. Pas Pleurer ganhou apertado, por cinco votos a quatro, de Meursault Contre-enquête, do argelino Kamel Daoud, que revista O Estrangeiro, clássico de Albert Camus. Concorreram, ainda, Charlotte, do best-seller e favorito David Foenkinos, e Ce Sont Des Choses Qui Arrivent, de Pauline Dreyfus.

Lydie é autora de mais de 20 livros já publicados em mais de 30 países. No Brasil, estão à venda apenas edições importadas. 

O Goncourt é um prêmio é simbólico e paga apenas 10 euros. Sua chancela, no entanto, dá visibilidade à obra vencedora, que pode atingir números de venda impressionantes. Em 2013, Revoir la-haut, livro premiado de Pierre Lemaitre, viu as vendas pularem de 30 mil exemplares para 620 mil, conforme informou sua editora.

Entre os outros vencedores da premiação criada em 1903, estão Marcel Proust, Simone de Beauvoir, André Malraux e Michel Houellebecq.

COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.