Acervo pessoal
Acervo pessoal

Longe das netas, avó cria podcast com histórias personalizadas para amenizar a distância

Os áudios que a jornalista Ivani Cardoso manda semanalmente para as netas viraram o podcast Histórias da Vovó

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

25 de julho de 2020 | 05h00

A jornalista Ivani Cardoso fez, anos atrás, um curso de escrita criativa com o escritor e cronista do Estadão Ignácio de Loyola Brandão e, mais recentemente, um de poesia. Mas foi a saudade das netas durante a quarentena que a colocou na frente do computador a escrever histórias e, depois, diante de um gravador, a registrá-las. 

Hoje, essas historinhas personalizadas, que colocam Helena, 5, e Julia, 1, no centro do enredo que mistura ora personagens clássicos da literatura, ora princesas, estão reunidas no podcast Histórias da Vovó, disponível no Spotify e atualizado uma vez por semana com uma nova aventura, quase sempre situada na chácara onde as meninas estão isoladas há mais de quatro meses.

“Minha relação com a Helena sempre foi ligada a histórias. Ela gosta de me dar um tema e invento alguma coisa. Tentei continuar por ligação de vídeo, mas criança não tem paciência. Então resolvi gravar. Foi um sucesso”, conta. Hoje é uma animação quando os pais avisam que chegou mensagem da avó.

Essa nova atividade amenizou a distância imposta pela pandemia e, ao mesmo tempo, ajudou a jornalista a superar o início pesado da quarentena. “O coronavírus mudou nossa vida, não sabíamos o que ia acontecer, eu olhava pela janela e via aquela São Paulo vazia, senti uma saudade imensa das meninas, a quem via de uma a duas vezes por semana”, diz. “Escrever e gravar essas histórias devolveu um lado lúdico para a minha vida. As histórias saem muito facilmente e é muito bom ver que consigo fazer isso. Não me dá trabalho nenhum, só prazer.”

Em uma das histórias, apareceu na chácara Mary Poppins, que foi ajudar a família quando a babá foi visitar a mãe. Nos dois dias em que fica por lá leva até as meninas para tomar banho de cachoeira. Em outra, quem chega lá é Emília, chateada com a turma do Sítio do Picapau Amarelo, buscando abrigo e amizade. 

A brincadeira entre a jornalista e as netas está se espalhando e vem inspirando outras avós, amigas de Ivani. Há também quem comece a pedir histórias com personagens meninos – e esta semana entrou no ar Soldadinhos de Chumbo.

“São todas histórias simples, curtas, personalizadas e que têm a ver com o universo delas. Acho que é por isso que funcionam”, diz Ivani Cardoso, que chega mais leve nesta nova fase da quarentena.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.