Francesca Sanna
Ilustração de 'A Viagem' Francesca Sanna

Ilustração de 'A Viagem' Francesca Sanna

Livros sobre refugiados: veja uma seleção de obras indicadas para crianças e adolescentes

O Dia Mundial do Refugiado é celebrado em 20 de junho; veja 14 livros para conversar sobre o tema

Maria Fernanda Rodrigues , O Estado de S. Paulo

Atualizado

Ilustração de 'A Viagem' Francesca Sanna

Há uma série de livros nas livrarias brasileiras que abordam a questão dos refugiados e sua luta por sobrevivência. A fuga de guerras ou de condições adversas, sejam elas políticas, econômicas ou ambientais, e o recomeço em outro país. Seus dramas, suas lutas, suas cicatrizes. O preconceito. O acolhimento.

Para o Dia Mundial do Refugiado, celebrado neste domingo, 20, o Estadão selecionou livros para crianças, pré-adolescentes e adolescentes que falam sobre refugiados. Livros que ajudam os pequenos leitores a compreender a realidade que os cerca e favorecem a empatia.

Livros sobre a questãos refugiados

  • O Cometa é um Sol Que Não Deu Certo

O livro do brasileiro Tadeu Sarmento venceu o Prêmio Barco a Vapor. O Cometa é um Sol Que Não Deu Certo (Edições SM, 120 págs., R$ 42) é situado em campo de refugiados sírios na fronteira com a Jordânia, e fala sobre a amizade entre quatro garotos. Pelo olhar sensível do protagonista, o leitor é apresentado ao drama dos refugiados sírios e acompanha os dilemas e sonhos de Emanuel em meio ao seu cotidiano sofrido e incerto.

 

  • Uma Travessia Perigosa

Inspirado em fatos reais, Uma Travessia Perigosa (FTD, 208 págs., R$ 48), romance juvenil de Jane Mitchell, é narrado por Ghalib Shenu, um menino curdo sírio de 13 anos que vive com a sua família na cidade de Kobani, no norte da Síria. Ele e seu primo Hamza Al-Khateeb gostam de pilhar objetos como sapatos entre os escombros de prédios bombardeados pelo Estado Islâmico. Durante uma dessas aventuras pela cidade, eles são atingidos. Hamza se machuca com mais gravidade. Após o incidente, a família de Ghalib decide sair da Síria e ir para a Europa. A travessia de mais de 2 mil quilômetros se inicia.

  • Diálogos de Samira

De Marcia Camargos com ilustrações de Carla Caruso, Diálogos de Samira (Moderna, 225 págs., R$ 53) retrata a troca de correspondência entre Samira e Karim. Nascidos em países tão distantes quanto Brasil e Síria, eles vivenciam uma das mais importantes propostas do ser humano: o desafio de conhecer e aceitar o outro, suas culturas e tradições, seus temores e sonhos, por mais estranhos e diferentes que possam parecer à primeira vista. 

  • Nujeen – A Incrível Jornada de Uma Garota Que Fugiu da Guerra na Síria em Uma Cadeira de Rodas

Um livro para adolescentes, jovens adultos e adultos. Nujeen – A Incrível Jornada de Uma Garota Que Fugiu da Guerra na Síria em Uma Cadeira de Rodas (Universo dos Livros, 240 págs., R$ 39,90) conta a história desta menina com paralisia cerebral, então com 13 anos, que, com a ajuda da irmã  e a jornada desta menina, que tem paralisia cerebral, e sua irmã empreendeu viagens de ônibus, longos trajetos sobre sua cadeira de rodas e travessias em botes, atravessou países e mais países rumo à uma vida mais segura e longe de sua Aleppo em destruição. O livro foi escrito por Nujeen com Christina Lamb, que também escreveu outro livro com Malala. Confira a entrevista concedida por Nujeen ao Estadão na época do lançamento, em 2017.

  • Valentes: Histórias de Pessoas Refugiadas no Brasil

Também para adolescentes, Valentes: Histórias de Pessoas Refugiadas no Brasil (Seguinte, 296 págs.; R$ 79,90), livro de Aryane Cararo (Autor) e Duda Porto de Souza com ilustrações de Rafaela Villela, retrata histórias reais de pessoas de mais de 15 nacionalidades que vieram para o Brasil pelos mais variados motivos, como dificuldades financeiras, perseguição baseada em raça, religião, nacionalidade, orientação sexual, identidade de gênero ou opinião política. Leia a matéria sobre o livro.

 

  • Um Outro País Para Azzi

Em Um Outro País Para Azzi (Pulo do Gato, 40 págs., R$ 48,60), a escritora britânica Sarah Garland conta a história de uma família que corre perigo e precisa fugir às pressas, deixando para trás tudo: casa, parentes, amigos, trabalho, cultura. Ao embarcarem rumo a um país desconhecido, levam pouca bagagem e muita esperança. E Azzi começa a se confrontar com a saudade da avó, a nova língua, a adaptação, a nova escola.

  • Eloísa e os Bichos

Esta é a história de uma menina que precisa se mudar com o pai para uma nova cidade, encontra um mundo totalmente diferente daquele que ela conhecia e se sente um verdadeiro bicho estranho. Com o passar do tempo, tudo o que a assustava começa a ser incorporado com naturalidade a sua rotina. Eloísa e os Bichos (Pulo do Gato, 40 págs., R$ 40,75), Jairo Buitrago e o ilustrador Rafael Yokteng, oferecem um olhar renovado sobre problemas sociais, como o deslocamento, o respeito à diversidade e a recusa à intolerância.

  • Migrando

Migrando (Editora 34, 72 págs., R$ 52) é um livro sem palavras da ilustradora argentina radicada na Itália Mariana Chiesa Mateos em uma colaboração com a Anistia Internacional. O livro tem duas capas e dois inícios, com duas histórias paralelas que se cruzam no seu interior: a dos imigrantes europeus que vieram à América e a dos imigrantes africanos que buscam chegar à Europa. 

  • A Viagem

A Viagem (V&R; 44 págs., R$ 44,90), da italiana Francesca Sanna, narra a saga de uma mãe e seus filhos para fugir da guerra que matou o pai das crianças. Inspirada em relatos reais de pessoas que foram forçadas a sair de sua terra natal e narrado pelo olhar de uma criança, esta história ultrapassa todas as fronteiras.

  • A Menina Que Abraça o Vento

A Menina Que Abraça o Vento (Vooinho, 40 págs., R$ 32), de Fernanda Paraguassu com ilustrações de Suryara Bernardi, conta a história de Mersene, uma garotinha refugiada da República Democrática do Congo que encontrou no Brasil seu novo lar, e sofre com saudades do que ficou para trás - de seu pai, por exemplo.  A história foi inspirada em histórias reais de meninas congolesas refugiadas na cidade do Rio de Janeiro.

  • Amal e a Viagem Mais Importante da Sua Vida

Amal é uma menina que deixa sua vida na Síria, viajando sozinha, de carona, a pé e até em bote improvisado pela Turquia, Grécia e Itália. Pelo caminho, conhece outras crianças vindas de outros países na mesma situação. Amal e a Viagem Mais Importante da Sua Vida (Caixote, 96 págs., R$ 50), de Carolina Montenegro com pinturas de Renato Moriconi, contou com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e é uma homenagem às milhões de crianças refugiadas e, em especial, àquelas que viajam sozinhas pelo mundo para sobreviver. 

  • A Cruzada das Crianças

Outros tempos, outras guerras, e o mesmo tema: crianças viajando sozinhas, lutando pela sua sobrivivência com a ajuda umas das outras. A Cruzada das Crianças (Pulo do Gato, 46 págs., R$ 45,50), poema narrativo de Bertold Brecht ilustrado por Carme Solé Vendrell, conta a história da árdua peregrinação de um grupo de crianças órfãs que foge dos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial e que, juntas, enfrentam toda a sorte de dificuldades em busca de um lugar seguro onde refugiar-se.

  • Dois meninos de Kakuma

Dois Meninos de Kakuma (Pulo do Gato, 72 págs.; R$ 54,60), livro da jornalista e fotógrafa franco-brasileira Marie Ange Bordas, é uma ficção baseada em mais de 20 anos de observação e conversa, desde a primeira vez em que ela esteve no campo de refugiados no Quênia. Por meio de fotoilustrações e das vozes dos dois meninos, Geedi, nascido no campo, e Deng, que veio sozinho do Sudão, conhecemos um pouco do cotidiano, passado, sonhos, afetos e inquietações destas crianças. Confira entrevista com a autora.

  • Poderia

Como seria sentir o que o outro sente? Como seria viver o que outro vive? “Você teria sido criado de outra maneira, talvez melhor, talvez pior. (...) Você poderia ler contos e poemas, ou não ter livros nem conhecer as letras”. Numa sequência de versos, Poderia (Brinque-Book, 32 págs., R$ 39,90), de Joana Raspall com ilustrações de Ignasi Blanch, nos transporta para mundos distantes e para outros muito próximos, nos faz pensar sobre nós mesmos e a nossa relação com o outro. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.