Timoh A. Clary/AFP
Timoh A. Clary/AFP

Livro em miniatura de Charlotte Brontë é vendido por mais de US$ 1 milhão

De 1829, 'Book of Rhymes by Charlotte Brontë, Sold by Nobody, and Printed by Herselt' será doado para o Museu Brontë

Redação, AFP

25 de abril de 2022 | 11h45

Menor que uma carta de baralho, um livro de poemas escrito por Charlotte Brontë (1816-1855) quando ela tinha 13 anos foi comprado por US$ 1,25 milhão por uma associação literária britânica, que anunciou nesta segunda-feira, 25, que vai doá-lo ao museu dedicado a essa autora inglesa do século XIX.

Com o título A Book of Rhymes by Charlotte Brontë, Sold by Nobody, and Printed by Herselt (Um Livro de Rimas de Charlotte Brontë, Vendido por Ninguém e Impresso por Ela Mesma), o manuscrito de papel pardo de 15 páginas, datado de 1829, costurado à mão e composto por uma coleção de dez poemas inéditos, foi anunciado na semana passada em Nova York. 

Colocado à venda por um proprietário anônimo, foi comprado por US$ 1,25 milhão pela Friends of National Libraries, uma organização britânica sem fins lucrativos que trabalha para preservar a herança literária do país.

"Salvar o pequeno livro de Charlotte Brontë é uma grande conquista para o Reino Unido", afirmou Geordie Greig, presidente da associação, que o doará ao Museu Brontë, situado em Haworth, no norte da Inglaterra, onde a escritora cresceu. 

Nascida há 206 anos em 21 de abril de 1816, quando criança Charlotte se divertia com suas irmãs e irmão inventando histórias intrincadas em um mundo de fantasia sofisticado. 

Seu trabalho posteriormente gerou clássicos da literatura inglesa como Jane Eyre de Charlotte Brontë, O Morro dos Ventos Uivantes de Emily BrontëA Inquilina de Wildfell Hall de Anne Brontë

Em novembro de 2019, um manuscrito em miniatura de Charlotte Brontë já havia sido vendido por cerca de US$ 850 mil

Em dezembro passado, os Amigos das Bibliotecas Nacionais já compraram uma coleção de livros e manuscritos, incluindo sete miniaturas de Charlotte, por 15 milhões de libras (US$ 19,5 milhões).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.