Eduardo Nicolau/Estadão
Eduardo Nicolau/Estadão

LER – Salão Carioca do Livro reúne 550 autores no centro do Rio

Denominado como o ‘maior evento aberto do livro’ no País, festival homenageia Luis Fernando Verissimo, Zuenir Ventura, Elza Soares e Monteiro Lobato

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

19 de novembro de 2019 | 20h28

A 3.ª edição da LER – Salão Carioca do Livro começa nesta quarta-feira, 20, o dia da Consciência Negra, no centro do Rio, com uma programação extensa de 30 espaços diferentes e mais de 500 autores, segundo a organização. O evento pretende deixar legados para a cidade: em 2018, reabriu a Biblioteca Parque Estadual, e em 2019 o evento vai ocorrer no Campo de Santana. Outra intenção é reabrir a Biblioteca Parque do Alemão, fechada desde 2016. Todo o festival tem entrada gratuita.

Os homenageados deste ano são: Luis Fernando Verissimo (colunista do Estado), o jornalista Zuenir Ventura (ambos com presença confirmada no evento), a cantora Elza Soares (que também irá ao LER) e Monteiro Lobato – celebrado com uma exposição em parceria com a Biblioteca Nacional e com encontros com especialistas em suas obras (será estranho se o assunto do discutido racismo do autor não aparecer por ali em algumas das mesas).

Entre os nomes confirmados para esta edição, estão Alberto Mussa, Angélica Freitas, Francisco Cuoco, Jarid Arraes, Lobão, Lourenço Mutarelli, Mary Del Priore, Miriam Leitão, Paulo Lins, Sérgio Sant’Anna, Zeca Camargo e muitos outros. A programação completa está no site lersalaocarioca.com.br.

“Vejo a LER como uma grande oportunidade para recuperarmos o que tem se perdido ultimamente: o diálogo, a troca de ideias, a inspiração mútua”, diz o curador do evento, Julio Silveira, em comunicado. “Em tempos de polarização radical, tentamos trazer para as mesas da LER toda uma gama de pontos de vista diferentes, com leitores de todos os perfis e origens. Para que todos possam ver o que temos em comum, mas que também possam apreciar e aprender com as diferenças para, quem sabe, construir e criar juntos.”

Um dos destaques da programação é o espaço Café do Livro, que promete colocar em discussão pontos de vistas diferentes sobre assuntos como criação de histórias, política e identidade. Outros espaços são dedicados a entrevistas e lançamentos de livros, literatura infantil, quadrinhos, literatura fantástica, apresentações de teatro e diversas exposições.

Durante o evento, uma passarela vai ligar o Campo de Santana à Biblioteca Parque Estadual, antigo projeto do sociólogo Darcy Ribeiro.

As inscrições para as atividades serão no próprio local, uma hora antes de cada atividade programada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.