Ernesto Rodrigues/Estadão - 18/6/2006
Ernesto Rodrigues/Estadão - 18/6/2006

Juíza peruana ordena que ladrões leiam 'O Alquimista', de Paulo Coelho

A inusitada condenação obriga dois jovens que roubaram um celular em 2018 a ler também 'Pai Rico, Pai Pobre', de Robert Kiyosaki, e a estudar. Essas são as condições para a dupla não passar quatro anos na prisão

Redação, AFP

30 de abril de 2019 | 23h10

Dois ladrões de celulares receberam uma inusitada condenação judicial no Peru: ler dois livros de autoajuda, um deles O Alquimista, do brasileiro Paulo Coelho, para não precisar passar quatro anos na prisão, informou a Justiça peruana na terça-feira, 30.

"Michael Ramos Landeo, de 21 anos, e Jhonatan Torres Quispe, de 23, deverão estudar e ler livros se não quiserem ser presos", decidiu a juíza Katy Rocío Jurado, da Corte Superior de Justiça da região Huancavelica (sudeste).

A decisão judicial estipula que os condenados deverão ler e estudar no prazo de um ano O Alquimista, de Coelho, e Pai Rico, Pai Pobre, de Robert Kiyosaki.

"Esta é uma sentença exemplar", disse a juíza à rádio RPP ao justificar a decisão atípica, que busca a "ressocialização efetiva e a reabilitação dos condenados".

A juíza ainda determinou que eles estudem para uma carreira profissional, que pode ser técnica ou universitária.

Ela informou que os condenados deverão cumprir regras de conduta rigorosas, como "não frequentar locais de reputação duvidosa".

Eles também pagarão, em conjunto, cerca de US$ 1.200 de reparação civil.

Os jovens foram condenados pelo roubo, praticado em 20 de outubro de 2018, do celular de uma pessoa, que os denunciou à polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.