J.K. Rowling quer proibir enciclopédia sobre Harry Potter

Justiça terá de decidir se apropriação de textos da escritora, nesse caso, pode ser justificável

Larry Neumeister, da AP,

13 de abril de 2008 | 16h36

A escritora britânica J.K. Rowling pretende dizer a um juiz que uma enciclopédia sobre Harry Potter, planejada por um fã dos livros, é uma violação de seus direitos de copyright. O confronto entre Rowling e o fã, Steven Vander Ark, está previsto para um tribunal distrital de Nova York. A escritora deverá prestar seu depoimento nesta segunda-feira, 14, num julgamento que atrairá grande interesse dos fãs de seu trabalho e do público em geral.  VEJA TAMBÉMEspecial: a despedida de Harry PotterHarry Potter Lexicon O advogado de Rowling obteve do juiz a autorização para que a escritora possa contar com uma guarda pessoal de segurança e fazer pausas de descanso numa sala reservada, longe do público nas galerias.  O julgamento começa oito meses depois de Rowling publicar o sétimo, e último, volume da saga do menino-bruxo Harry Potter. Os livros já foram publicados em 64 idiomas, venderam mais de 400 milhões de exemplares e deram origem a uma série cinematográfica que gerou bilheterias da ordem de US$ 4,5 bilhões.  A escritora decidiu processar o editor de Vander Ark, a RDR Books, para que deixe de publicar o Harry Potter Lexicon. Rawling se diz uma grande admiradora do website sobre Harry Potter que Vander Ark administra, mas não concorda com a publicação do livro, vendido, nos EUA, por US$ 24,95 (cerca de R$ 50). Ela diz que o livro não traz nada dos comentários e debates que ocorrem no website, e não passa de uma "reorganização" dos textos dos livros da série Harry Potter.  O advogado da RDR Books, David Saul Hammer, disse que a editora não questionará a alegação de que boa parte do material no livro copia textos dela, mas pedirá ao juiz para decidir se essa apropriação do material não é justificada, como no caso de um estudo acadêmico. Em documentos apresentados à corte, Rowling afirma que, se a tese da editora for aceita, "haverá um impacto importante e negativo nas liberdades desfrutadas por fãs na internet". "Escritores serão forçados a proteger suas criações de forma muito mais rigorosa, o que poderá significar negar a fãs bem-intencionados permissão para realizar atividades criativas legítimas". Já Vander Ark informa que é um professor e bibliotecário que tenta iniciar uma carreira como escritor.  O website que criou sobre Harry Potter tem 1,5 milhão de páginas vistas ao mês e acumula colaborações de todas as partes do mundo.Em suas declarações por escrito ao tribunal, Vander Ark ainda soa como um fã, dizendo que o Lexicon "amplia o prazer dos leitores dos romances de Harry Potter, e aprofunda a apreciação dos feitos da senhora Rowling". Mas a admiração não parece mais ser mútua. O advogado da editora disse que os advogados da escritora não querem que Vander Ark esteja presente quando ela fizer seus depoimento.

Tudo o que sabemos sobre:
harry potterj.k. rowling

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.