J.K. Rowling processa fã que quer escrever livro sobre Potter, diz NYT

Escritora entra com ação contra editora que queria publicar dicionário sobre bruxinho

New York Times

14 de abril de 2008 | 20h43

A escritora J.K. Rowling, que saiu da pobreza para se tornar a mais famosa escritora infantil do mundo com a série Harry Potter, compareceu nesta segunda-feira a uma corte de Nova York para testemunhar contra um fã acusado de roubar seu trabalho para publicar um guia de referência sobre o universo do bruxinho. Acompanhada de seguranças, Rowling chegou à uma corte federal no centro de Manhattan para testemunhar no processo que move contra a RDR Books, uma pequena editora do Michigan que quer publicar uma versão em papel do popular website 'The Harry Potter Lexicon' (O Léxico de Harry Potter. Criado pelo bibliotecário Steven Vander Ark,o dicionário online atraiu milhões de leitores e recebeu elogios da própria escritora, que, no entanto mudou de idéia depois que Ark decidiu publicar uma versão impressa do site. Analistas dizem que o caso pode abrir um precedente importante no mundo literário, que pode determinar até que ponto os fãs podem usar e criar a partir da obra de seu autor favorito. Usando um vestido preto, Rowling criticou Ark e seu léxico, que classificou como uma compilação de frases e fatos tirados de seus livros e reescritos "sem aspas" que pudessem revelar a fonte. Ela ainda comentou que o livro é "preguiçoso" e "cheio de erros" . A escritora revelou que também tinha planos de fazer um dicionário sobre Potter. "O que isso acrescenta? Não gosto da idéia de meus leitores gastando seu dinheiro com isso", declarou. "Minha maior preocupação é que estes personagens significam muito para mim. É difícil alguém que não seja escritor entender". Os livros de Rowling venderam mais de 400 milhões de cópias no mundo inteiro e deram origem a filmes da Warner Bros., fazendo de Harry Potter uma valiosa marca global. Enquanto a popularidade do bruxinho crescia, fãs montaram uma verdadeira indústria de websites dedicados aos personagens da série. Rowling geralmente encorajava o trabalho dos fãs, até mesmo dando prêmios às melhores páginas de internet e declarando, que em uma ocasião, até mesmo usou o site de Ark para de lembrar de detalhes enquanto escrevia. Mas quando a editora RDR anunciou que pagou um adiantamento para que Ark produzisse uma versão em papel do site, Rowling e a Warner fizeram objeções.Os advogados da escritora argumentam que a editora estava passando dos limites ao procurar lucrar com 'The Harry Potter Lexicon', que alegam ser apenas uma compilação do trabalho de Rowling. A escritora também tinha planos de fazer seu próprio léxico sobre a saga do bruxinho, o que segundo disse em entrevista no ano passado, daria muito trabalho e levaria pelo menos dez anos para ser feito. "Este é meu próximo projeto", disse à corte, dizendo que ela deve isso ao seus fãs. Ark e seus advogados, no entanto, alegam que o livro de referência da editora RDR não feriria os direitos autorais de Rowling, pois o conteúdo da obra seria "original". Durante o julgamento, a editora disse que o livro de Ark "traz um análise e comentários originais sobre os personagens, trazendo referências históricas e apontando inconsistências e erros presentes nos romances".  A editora ainda argumenta que o léxico faz parte de uma longa tradição de livros que comentam obras literárias. "Esta é a primeira vez que alguém diz que isso não pod e ser feito", diz Anthony Falzone, advogado da RDR e diretor do projeto Fair Use da Universidade de Stanford.Apesar do enorme sucesso de seu franchise, Rowling participou poucas vezes de processos por causa de direitos autorais. Ela só participou de processos semelhantes contra uma editar alemã e outra holandesa, acusadas de plágio.

Tudo o que sabemos sobre:
Harry PotterprocessoJ.K. Rowling

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.