James Bond, espião mais famoso do mundo, volta em novo livro

'A Essência do Mal', escrito por Sebastian Faulks, se passa em 1967 e mostra o espião já envelhecido e ferido

JEREMY LOVELL, REUTERS

27 de maio de 2008 | 16h22

Integrantes dos Marines Reais e um navio de guerra ancorado no Tâmisa montaram guarda nesta terça-feira, 27, para marcar o retorno do mais famoso espião do mundo, James Bond, em um novo romance.  Veja também:Record fará eventos para comemorar 100 anos de Ian Fleming A Essência do Mal (Devil May Care) é a mais recente aventura do herói mulherengo e bebedor, criado por Ian Fleming e adorado por milhões de fãs em todo o mundo, que o conhecem por 14 livros e uma série de filmes de enorme sucesso comercial. Escrito pelo romancista britânico Sebastian Faulks a pedido dos herdeiros de Fleming, o romance é ambientado em 1967 e mostra o espião com licença para matar já envelhecido, vulnerável e ferido, mas com o ímpeto sexual intacto. A publicação do livro marca o centenário do nascimento de Fleming. Para homenagear o número de código de James Bond, 007, Faulks autografou sete exemplares do livro, que foram levados sob escolta de fuzileiros navais do navio de guerra HMS Exeter até uma livraria no centro de Londres, antes do lançamento do livro, na quarta-feira. Faulks é conhecido sobretudo por seus romances passados na Segunda Guerra Mundial, como Charlotte Gray e O Canto do Pássaro. Ele admitiu que ficou receoso quando lhe pediram que escrevesse como se fosse Ian Fleming. Mas a idéia foi ganhando raízes e Faulks aderiu a ela, imitando o cronograma de trabalho rígido seguido por Fleming e estudando a prosa e as tramas para se inspirar. "Em sua casa na Jamaica, Fleming tinha o hábito de escrever mil palavras pela manhã, depois fazer mergulho submarino, tomar um coquetel, almoçar no terraço, mergulhar de novo, escrever outras mil palavras até o final da tarde, depois mais alguns Martinis na companhia de mulheres glamourosas", disse Faulks. "Em minha casa em Londres, segui a rotina dele exatamente, tirando os coquetéis, os mergulhos e o almoço." Faulks retomou a trajetória de James Bond onde Fleming a deixou em 1966 com Octopussy and the Living Daylights, o último dos 14 livros sobre James Bond, que já venderam 100 milhões de cópias desde então. Tendo escolhido 1967 como data da história, o tema não demorou a surgir: as drogas, assunto em grande medida ignorado por Ian Fleming. O resultado é o ansiosamente aguardado  A Essência do Mal, cuja trama ainda está sendo mantida em segredo mas que, diz Faulks, contém ambientes exóticos e prazeres gastronômicos suficientes para agradar aos fãs. "Escrever este livro de aventura leve foi mais emocionante do que eu previra. Espero que as pessoas desfrutem da leitura... e gostaria que Ian Fleming pudesse considerá-lo digno do espírito aventureiro de seus próprios livros - logo, um acréscimo aceitável a eles", disse Faulks.

Tudo o que sabemos sobre:
LIVROJAMESBOND

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.