HarperCollins se apressa para publicar livro de Benazir Bhutto

A editora HarperCollins anunciou nasegunda-feira que vai acelerar a publicação de um livroentregue a ela pela ex-primeira-ministra paquistanesa BenazirBhutto dias antes de seu assassinato, ocorrido em 27 dedezembro. A editora, que faz parte da News Corporation, disse que,"com o pleno apoio da família e dos assessores" de Bhutto, vaiadiantar para 12 de fevereiro o lançamento de "Reconciliation:Islam, Democracy, and the West". De acordo com artigo publicado no New York Post, aHarperCollins tinha pagado a Bhutto, duas vezesprimeira-ministra e líder da oposição paquistanesa, umadiantamento estimado em 75 mil dólares pouco antes de elaretornar ao Paquistão, em outubro, após anos de exílio. Ainda segundo o Post, Mark Siegel trabalhou com Bhutto comredator colaborador. Em comunicado divulgado em Nova York, a HarperCollinsdescreveu "Reconciliation" como "uma visão ousada eintransigente de esperança para o futuro, não apenas doPaquistão mas do mundo islâmico". "Bhutto apresenta um argumento poderoso em favor dareconciliação do islã com os princípios democráticos, diante daoposição de extremistas islâmicos e céticos ocidentais."O governo paquistanês atribuiu à Al Qaeda o ataque a bomba earma de fogo contra Benazir Bhutto em Rawalpindi, cidade queabriga um destacamento militar, mas membros de seu partido, oPartido do Povo do Paquistão, vêm expressando suspeitasprofundas quanto às motivações e identidades dos assassinos. O livro vai incluir um breve posfácio assinado pelo maridoe os filhos de Bhutto. "Ninguém poderia ter sabido que essas seriam as palavrasfinais de Benazir Bhutto, e, de certo modo, isso faz com queelas tenham peso ainda maior, especialmente em um momento comoeste," disse Tim Duggan, o editor da HarperCollins que comprouos direitos ao livro. "Este livro é o legado dela."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.