Acervo Melhoramentos
Acervo Melhoramentos

Há 100 anos nascia o autor de 'O Meu Pé de Laranja Lima'

José Mauro de Vasconcelos deixou, ainda, uma vasta obra adulta além de seu livro sobre Zezé, que marcou e formou gerações de leitores

Maria Fernanda Rodrigues, O Estado de S. Paulo

26 de fevereiro de 2020 | 14h14

Ignorado pela crítica e amado por seus leitores - do passado e do presente -, o escritor José Mauro de Vasconcelos nasceu no dia 26 de fevereiro de 1920, em Bangu, no Rio. Como seus pais eram muito pobres, ele foi morar com os tios em Natal. Saiu de lá a bordo de um navio cargueiro para recomeçar em sua cidade natal.

Ao longo de seus 64 anos de vida, José Mauro de Vasconcelos, que rodou o Brasil e o retratou mais tarde em seus livros, fez de tudo. Estudou medicina, mas abandonou o curso. Foi treinador de boxe, carregador de banana, pescador, professor primário, garçom, ator, viajante, artista plástico. Foi escritor best-seller - e, indiretamente, formador de leitor.

Sua obra mais conhecida, O Meu Pé de Laranja Lima, já encantou leitores de diversas gerações, brasileiros e estrangeiros, desde que foi publicado em 1968. De lá para cá, já foram vendidos mais de 2 milhões de exemplares da história juvenil que fala sobre Zezé, “um meninozinho que um dia descobriu a dor”, como Vasconcelos escreveu no subtítulo de seu clássico.

O Meu Pé de Laranja Lima faz parte de uma trilogia autobiográfica iniciada pelo autor com Doidão, em 1963, e encerrada com Vamos Aquecer o Sol, em 1974.

Seus livros são publicados pela Melhoramentos, que recentemente mandou para as livrarias novas edições de sua obra adulta. Entre os títulos que voltaram repaginados estão Banana Brava (1942), Barro Blanco (1948), Longe da Terra (1949) e Vazante (1951). Rosinha, Minha Canoa (1962), Coração de Vidro (1964), O Palácio Japonês (1969) e O Veleiro de Cristal (1973), para um público mais jovem, também ganharam novas edições.

Em março, deve ser lançada a primeira adaptação em HQ de O Meu Pé de Laranja Lima. O livro já ganhou versões para o cinema e para a televisão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.