Stefan Wermuth/Reuters
Stefan Wermuth/Reuters

Grupo de mídia Bertelsmann conclui aquisição global da Penguin Random House

O maior grupo editorial do mundo, que no Brasil é sócio majoritário do Grupo Companhia das Letras, agora pertence 100% à empresa de mídia, serviços e educação alemã

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

02 de abril de 2020 | 16h34

A Bertelsmann concluiu a compra e agora possui 100% das ações do maior grupo editorial do mundo, a Penguin Random House, com sede em Nova York. No Brasil, a PRH é sócia-majoritária do Grupo Companhia das Letras, que engloba 17 editoras por aqui. A transação internacional é avaliada em aproximadamente US$ 675 milhões.

A empresa alemã  de mídia, serviços e educação anunciou nesta quinta-feira, 2, a conclusão da compra da participação remanescente de 25% da co-acionista Pearson, após receber todas as aprovações regulatórias necessárias.

Segundo o grupo, a aquisição completa da Penguin Random House, anunciada em dezembro de 2019, foi aprovada pela União Europeia por meio de um procedimento simplificado em março, e posteriormente também pelas autoridades de concorrência austríacas.

Em nota, o presidente e CEO da Bertelsmann e presidente do Conselho de Administração da Penguin Random House, Thomas Rabe, afirmou que "nossa empresa se tornará a única proprietária da incontestável líder global de mercado na publicação de livros".

"Garantiremos que os nossos negócios em livros possam continuar a se expandir através de crescimento orgânico e aquisições no futuro, e continuar a ser um lar para os melhores talentos criativos do mundo", prometeu Rabe. "Livros em todos os formatos têm um futuro brilhante. Seu alto grau de relevância é particularmente evidente no presente momento em que estamos, durante a crise do coronavírus, quando muitas pessoas buscam conhecimento e entretenimento - e o encontram nos livros".

A Penguin Random House compreende cerca de 320 editoras em seis continentes, com mais de 15 mil novas publicações e mais de 600 milhões de livros vendidos por ano. Com a transação, os a participação dos acionistas da Bertelsmann no lucro do grupo aumentará em mais de € 70 milhões por ano.

A lista de autores da Penguin Random House inclui John Grisham, Dan Brown, Barack e Michelle Obama e Toni Morrison. No ano passado, 496 dos títulos do grupo editorial entraram nas listas de best-sellers do The New York Times.

História da aquisição Bertelsmann x Penguin Random House

Em 1º de julho de 2013, a Bertelsmann e a Pearson fundem seus negócios editoriais de livros — Random House e Penguin Group — e se tornam o maior grupo editorial do mundo. Com 53%, a Bertelsmann detém maioria de participação na empresa resultante da fusão, a Penguin Random House, enquanto a Pearson detém 47%. Por meio de aquisições, a Penguin Random House torna-se então a número um no mercado literário em língua espanhola, entre outros. 

Em 2017, a Bertelsmann adquire outros 22% de participação na Penguin Random House do co-acionista Pearson e assim atinge sua meta estratégica de participação no grupo editorial global unificado. Com a conclusão da compra anunciada nesta quinta, a Bertelsmann aumenta suas participações na Penguin Random House para 100%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.