Guilherme Sobota/ Estadão
Guilherme Sobota/ Estadão

Gisele Mirabai é a vencedora da primeira edição de Prêmio literário da Amazon

'Machamba', romance vencedor do Prêmio Kindle de Literatura, foi recusado por grandes editoras e agora será lançado pela Nova Fronteira

Guilherme Sobota, O Estado de S.Paulo

17 Janeiro 2017 | 11h20

RIO - Gisele Mirabai, e o seu romance Machamba, é a vencedora da primeira edição do Prêmio Kindle de Literatura, criado pela Amazon em parceria com a editora Nova Fronteira. O anúncio foi feito nesta terça-feira, 17, no Rio.

O livro, já disponível na plataforma Kindle Direct Publishing (destinada a autopublicação de autores independentes), será lançado em edição impressa pela Nova Fronteira até o fim do primeiro semestre de 2017. A autora também leva R$20 mil para casa.

Foram mais de 2 mil livros inscritos, de 1,7 mil escritores de todos os estados do Brasil. O júri foi composto pela equipe editorial da Nova Fronteira e por Carlos Heitor Cony e Geraldo Carneiro, autores da casa.

Gisele é escritora, atriz e roteirista de Belo Horizonte, e tem outros livros publicados. Machamba ganhou também uma bolsa Funarte de Criação Literária, e a escritora participou da oficina literária de Marcelino Freire em São Paulo em 2009. "Estou muito feliz de estar aqui com vocês, todos reunidos em volta do livro. Eu acredito que a literatura transforma", disse Gisele ao receber o prêmio.

'Machamba' conta a história de uma mulher nascida no interior de Minas Gerais e que no presente vive em Londres. Para entender sua própria história, ela empreende uma viagem para ruínas de sociedades antigas, como à Grécia e à Turquia, numa tentativa de redescobrir suas próprias raízes.

Desde que as inscrições foram abertas, em setembro de 2016, 33 livros entre os títulos inscritos no Prêmio Kindle ficaram, em algum momento, entre os 100 mais vendidos no Amazon.com.br. Quatro deles alcançaram o primeiro lugar.

"Aqui os leitores têm a chance de descobrir os escritores durante a apuração do prêmio", diz o gerente geral para ebooks da Amazon.com.br, Ricardo Garrido, ressaltando o caráter independente da premiação: para se inscrever, os autores tinham que publicar um romance inédito no KDP.

"Foi uma ótima oportunidade para voltar a atuar na produção contemporânea" disse a diretora editorial da Nova Fronteira Daniele Cajueiro. "Foi um trabalho de fôlego intenso, mas trouxe um novo ar para o nosso catálogo, e pode inclusive trazer novos nomes para a casa."

Segundo a editora, o Prêmio é uma porta de entrada para a ampliação do catálogo de autores contemporâneos da Nova Fronteira, editora célebre por ser a casa de nomes como Guimarães Rosa, Rubem Fonseca e mais recentemente Ariano Suassuna.

A segunda edição do prêmio será lançada em breve, segundo a Amazon. A empresa faz versões diferentes do concurso em vários países, e segundo Garrido o número de inscrições no Brasil -- cerca de 2,2 mil títulos -- foi maior, neste ano, do que em mercados editoriais mais fortes, como da Alemanha, Espanha e França.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.