EFE
EFE

Gabriel García Márquez é homenageado em festival de Cinema de Cartagena

Mostra lembra os filmes que influenciaram a criação literária do autor

EFE, O Estado de S. Paulo

16 Março 2015 | 09h10

CARTAGENA - A 55ª edição do Festival Internacional de Cinema de Cartagena das Indias (Ficci) fez neste domingo, 15, uma "sentida homenagem" ao Prêmio Nobel de literatura Gabriel García Márquez, e lembrou sua paixão pela sétima arte.

O Ficci programou a retrospectiva Gabo: os filmes da minha vida para lembrar os filmes que foram pedras angulares na criação literária do autor de Cem anos de solidão.

"Gabo era um cineasta. Nunca foi a uma academia onde ensinassem literatura, ele, como literato, foi autodidata, mas como cineasta se educou no centro de formação de Roma", explicou à Agência EFE o diretor de cinema colombiano Lisandro Duque, presente no festival.

Segundo Duque, García Márquez "mantinha a tentação pelo cinema à flor de pele e a prova de isso é que talvez haja mais filmes baseados nos temas de Gabo do que o número de romances que ele escreveu".

Neste sentido, assinalou que a razão pela qual se costuma menosprezar a cinematografia de García Márquez é porque já "existe o antecedente, essa espécie de pecado original de sua literatura que é genial", argumentou Duque, atual gerente do Canal Capital, a televisão pública de Bogotá.

O criador de Macondo recebeu em 1982 o Prêmio Nobel e em 1986 fundou a Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antonio de los Baños de Cuba, da qual Duque foi diretor entre 1994 e 1996.

Essa foi, disse Duque, a grande contribuição que fez Gabo, criar uma escola para jovens, principalmente do Terceiro Mundo, em uma época em que não podiam aspirar a se formar em universidades de cinema porque não havia esse tipo de escolas em seus países.

"Então a Escola Internacional de Cinema e Televisão formou muitos cineastas, a maioria sem recursos que, de outra maneira, não teriam podido estudar", acrescentou.

Na opinião de Duque, García Márquez enriqueceu o pessoal de cinema na América Latina, na África, na Ásia e inclusive na Europa com criadores que "tinham um conceito diferente do ofício".

O Ficci será encerrado pelo diretor colombiano Rodrigo García Barcha, filho de Gabo, que apresentará seu trabalho mais recente, "O último dia no deserto".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.